Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Euroceticismo está em crescendo na União Europeia

  • 333

LEON NEAL

Sondagem em dez países mostra que há cada vez mais habitantes descontentes com a união a duas semanas do referendo ao Brexit, que poderá ditar saída do Reino Unido da UE. Ainda assim, maioria dos inquiridos continua a preferir integrar o bloco regional

O ceticismo em relação à União Europeia está a aumentar entre os habitantes do bloco, com uma nova sondagem divulgada esta quarta-feira a mostrar ainda assim que uma curta maioria dos inquiridos nos dez países onde a sondagem foi levada a cabo continua a preferir integrar o bloco dos 28.

De acordo com o inquérito do Pew Research Center divulgado hoje, a duas semanas do referendo ao Brexit, cerca de 51% do total de inquiridos na Polónia, Hungria, Itália, Suécia, Holanda, Alemanha, Espanha, Reino Unido, França e Grécia continua a favorecer a permanência na União Europeia. Mas isso não retira impacto ao facto de haver cada vez mais habitantes europeus com visões desfavoráveis do bloco regional.

Cerca de 42% das 10.491 pessoas que participaram no inquérito transnacional querem que mais poder seja devolvido às suas instituições nacionais — com uma outra sondagem da consultora TNS, sobre o Brexit, a apurar que 41% dos consultados querem que o Reino Unido fique no bloco dos 28 países contra 43% que são favoráveis à saída do país da UE.

Dentro de duas semanas, a 23 de junho, os britânicos vão às urnas decidir se ficam ou se saem do bloco, num dos mais importantes eventos da história da comunidade europeia desde a sua fundação. Nos últimos dias, uma série de sondagens tem previsto a vitória do Brexit nessa consulta, em linha com o crescente euroceticismo notório na sondagem do Pew.

Neste último inquérito transnacional, o centro de sondagens detetou que as visões desfavoráveis em relação à UE são mais notórias na Grécia (71%), em França (61%) e em Espanha (49%), números que representam uma queda de 17 pontos percentuais no caso francês entre 2015 e 2016 e de 16 pontos percentuais no caso espanhol. No Reino Unido, a queda foi de oito pontos percentuais, com 44% dos inquiridos a apoiarem a UE contra 48% que não apoiam, e em Itália foi de seis.

O inquérito deste ano foi levado a cabo entre 4 de abril e 12 de maio junto de 10.491 habitantes de dez nações da UE, países que, em conjunto, representam 80% da população europeia e 82% do PIB do bloco. A Polónia lidera o ranking dos que mais apoiam a UE (72%) seguida da Hungria (61%) e contra 27% dos inquiridos gregos, 38% dos franceses e 47% dos espanhóis.

No inquérito da TNS divulgado na segunda-feira, a Alemanha foi o país onde um maior número de inquiridos declarou apoiar a permanência do Reino Unido dentro do bloco europeu, com 79% a defenderem-no contra 15% que apoiam o Brexit.