Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Brexit. Prazo de inscrição para votar pode ser alargado após site de registo ir abaixo

ADRIAN DENNIS

Prazo para britânicos se registarem para votar no referendo de 23 de junho terminou na terça-feira, mas problemas com website após debate entre David Cameron e Nigel Farage estão a levar muitos a exigirem mais dias para se inscreverem

Políticos e cidadãos do Reino Unido estão a exigir a uma só voz desde terça-feira que o prazo para os britânicos se registarem para votar no referendo ao Brexit seja alargado, após o website onde podem fazê-lo ter ido abaixo esta terça-feira à noite, logo após o debate entre o primeiro-ministro, David Cameron, defensor da permanência do país na UE, e Nigel Farage, o líder do partido antieuropeísta UKIP, em direto na televisão.

Dezenas de milhares de pessoas que tentaram registar-se até à meia-noite, quando o prazo de registo terminou oficialmente, denunciaram erros e falhas no servidor e no sistema. Pelas 22h15 locais, mais de 50 mil utilizadores estavam a tentar aceder ao site ao mesmo tempo para poderem ir às urnas a 23 de junho, mas meia hora depois, o site deixou de aceitar mais registos.

O "The Independent" diz ter testado a morada cibernética, apurando que era possível entrar na página mas não proceder ao registo para votar. Os problemas levaram a que vários políticos e milhares de utilizadores web exigissem esta quarta-feira que o prazo seja alargado, para que mais britânicos possam decidir nas urnas o futuro do país no bloco regional dentro de duas semanas.

"Disseram-me que o site foi abaixo e que as pessoas não conseguem registar-se para votar no referendo da UE", escreveu no Twitter Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista, ecoando as exigências de centenas de utilizadores britânicos da rede social. "Se assim é, o prazo tem de ser alargado."

"Se isto aconteceu, o prazo tem de ser alargado. As pessoas não podem ver o seu direito ao voto negado porque o computador diz não", acrescentou Yvette Cooper, deputada do mesmo partido, o principal da oposição.

Tim Farron, líder dos Liberais Democratas, foi mais longe, falando numa "carnificina presidida pelo governo" e defendendo igualmente que "as pessoas devem ter um dia extra para exercerem o seu direito democrático". "Isto é um enorme golpe para a campanha pela permanência e para as nossas perspetivas de ficarmos na Europa", acrescentou, em referência ao facto de a maioria dos que se registaram nos últimos dias e que tentaram registar-se ontem à noite serem sobretudo jovens que, mostram as sondagens, pendem mais para votar contra o Brexit.

Pelas 9h30 da manhã em Lisboa, o "The Independent" avançou que Downing Street está a ponderar se é "prático e legal" alargar o prazo de registo perante a "exigência sem precedentes" dos líderes do Partido Trabalhista e dos Liberais Democratas.

De acordo com o jornal, quase meio milhão de pessoas tentaram registar-se para votar logo a seguir ao debate transmitido em horário nobre na televisão britânica. Para já, nem a Comissão Eleitoral nem o Governo, que têm responsabilidade sobre o site, confirmaram quantos potenciais eleitores foram afetados pelas falhas técnicas. Fontes do Executivo conservador dizem que o caso está a ser analisado.