Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Migração pode ser controlada sem Reino Unido sair da UE, promete Cameron

Getty Images

No primeiro grande evento televisivo em direto antes do referendo de 23 de junho, primeiro-ministro britânico tentou rebater promessas e proposta de imigração da barricada a favor do Brexit

David Cameron respondeu indiretamente à campanha "Vote Leave", sublinhando aos eleitores na quinta-feira à noite que não é preciso que o Reino Unido saia da União Europeia para controlar as entradas de migrantes dentro do país e que é possível atingir a fasquia de reduzir para menos de 100 mil o número de imigrantes a viver no país permanecendo no bloco europeu.

Para o primeiro-ministro britânico, seria uma "loucura" tentar controlar a imigração através de um voto a favor do Brexit, como sugeriram há dois dias o ex-autarca de Londres e aspirante ao lugar de Cameron, Boris Johnson, e o atual ministro da Justiça do Governo conservador, Michael Gove, num comunicado.

A resposta de Cameron surgiu numa sessão de perguntas e respostas conduzida no canal Sky News, na qual o chefe do Executivo voltou a avisar os eleitores de que sair da UE e do mercado único europeu "destruiria" a economia do Reino Unido.

Logo a seguir a essa sessão, Iain Duncan Smith, que abandonou o cargo de ministro do Trabalho do Governo de Cameron e que apoia o Brexit com Johnson e Gove, comentou a sessão, sublinhando que as pessoas "estão cansadas do alarmismo" da campanha pela permanência na UE, a "Remain".

Esta sexta-feira, há nova sessão de perguntas e respostas em direto na Sky News antes doreferendo de 23 de junho, desta vez com Michael Gove em representação do Brexit. O ministro da Justiça já assumiu que está a sentir-se "nervoso" com a aparição televisiva mas que, mesmo assim, espera conseguir "acalmar os receios das pessoas" em relação à saída da UE.