Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pais de jiadista britânico acusados de crimes de terrorismo

  • 333

A Unidade de Contraterrorismo do Reino Unido considerou que Letts e Sally Lane transferiram dinheiro para o filho que poderá ter sido usado para fins terroristas

Os pais de um jiadista britânico foram acusados esta quarta-feira de crimes de terrorismo, após terem enviado dinheiro para o filho que se encontra na Síria. A Unidade de Contraterrorismo do Reino Unido considerou que Letts e Sally Lane transferiram capital que poderia ser usado para fins terroristas.

“John Letts, de 55 anos, natural de Chilswell Road, Oxford, foi acusado de três crimes de entrada ou envolvimento, de alguma forma, num acordo para tornar o dinheiro disponível, sabendo ou tendo motivos razoáveis para suspeitar que poderia ser usado para um fim terrorista. Sally Lane, de 53 anos, também natural de Chilswell Road, Oxford, foi acusada dos mesmos três crimes”, afirmou um porta-voz da Unidade de Contraterrorismo britânica, citado pelo “Independent”.

No entanto, ambos garantem que só queriam ajudar o filho – que sofre de uma grave perturbação obsessiva compulsiva – para poder comprar comida e uns óculos, uma vez que se queixava de problemas oculares. Já em fevereiro, Letts e Sally Lane tinham sido detidos pela polícia inglesa, na sequência da suspeita de terem enviado dinheiro para o filho.

Em entrevista ao canal 4News, o pai garantiu desconhecer o paradeiro do filho, sublinhando que só queria ajudá-lo. “Ele envia-nos mensagens desesperadas, diz que está frio, que não tem comida ou que não consegue ver. Sabemos que legalmente não estamos autorizados a ajudá-lo, mas não entendemos esta acusação. Acho que qualquer pai faria isto”, afirmou John Letts. A mãe diz acreditar, por seu turno, que o filho foi para a Síria “ajudar deslocados”.

Jack Lane, de 20 anos, é natural de Oxford. Aos 18 anos, o jovem britânico – que é conhecido agora como Abu Mohammed –, juntou-se às fileiras do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) na Síria. Atualmente é casado com uma mulher iraquiana, da qual tem um filho e segundo as informações das autoridades britânicas vivia na cidade de Fallujah, situada a cerca de 70 quilómetros a oeste de Bagdade, que é controlada pelo Daesh.

Os pais do jiadista têm que se apresentar no próximo dia 9 de junho no Tribunal de Magistrados de Westminster.