Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Antigo Presidente do Chade condenado por crimes contra a Humanidade

  • 333

SEYLLOU DIALLO/AFP/Getty

Os factos dizem respeito ao seu período no poder, entre 1982 e 1990

Luís M. Faria

Jornalista

O antigo presidente do Chade, Hissene Habré, foi condenado esta segunda-feira a prisão perpétua. A sentença foi emitida pelo Tribunal Especial Africano, criado em 2013 pela União Africana dentro do sistema judicial do Senegal.

Habré foi declarado culpado de crimes contra a humanidade, violação e escravatura sexual. Os crimes ocorreram durante o seu período no poder, entre 1982 e 1990, até ele ser derrubado por um golpe.

A decisão lida pelo juiz Gberdao Gustave Kam considerou que o ex-presidente era responsável pela execução de mais de 40 mil pessoas, bem como pelas torturas infligidas a muitas outras. Vítimas que testemunharam no julgamento descreveram queimaduras de cigarros, choques elétricos, gás que lhes era atirado para os olhos, asfixia...

No meio da satisfação que demonstraram ao ouvir a sentença, um dos seus advogados, Reed Brody, afirmou: “O julgamento de Hissene Habré mostra que é possível para vítimas, com tenacidade e perseverança, levar o seu ditador a tribunal. Esperamos que outros sobreviventes e outros ativistas sejam inspirados pelo que as vítimas de Habré conseguiram fazer”.

Grupos de vítimas que viajaram até Dakar para a ocasião exprimiram o “sentimento de completa satisfação”. Pela sua parte, Habré continuou a negar as acusações. Enquanto o levavam para fora, gritou: “Isto não é um julgamento, é uma mascarada!” e usou o velho slogan “Abaixo a France-Afrique”, que alude ao imperialismo francês em África.