Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polónia começou desflorestação de uma das mais antigas florestas europeias

  • 333

Getty

Mais de 180 mil metros cúbicos de madeira vão ser extraídos da floresta de Bialowieza, parte dos quais de uma área cujo ecossistema permanece intocado há dez mil anos, no âmbito do projeto do Governo polaco

“A operação começou hoje”, afirmou Konrad Tomaszwewski, diretor da entidade polaca responsável pelas florestas nacionais, a propósito da desflorestação de Bialowieza, uma das mais antigas florestas europeias, onde se encontram as árvores mais altas e o maior mamífero, o bisonte europeu.

O Governo polaco diz que o plano de extração de mais 180 mil metros cúbicos de madeira tem por objetivo fazer frente à “degradação da floresta”, procurando conter uma infestação de escaravelhos e proteger os turistas e caminhantes do risco de árvores que podem cair. O plano agora iniciado deverá ser concretizado ao longo de uma década.

Grupos ambientalistas, entre os quais o Greenpeace da Polónia, contestam esta perspetiva, afirmando que os escaravelhos não representam qualquer ameaça para o ecossistema que permanece intocado há dez mil anos e que poderá deste modo ser destruído.

“Apelamos à Comissão Europeia para intervir antes que o Governo polaco permita a destruição irreversível da floresta Bialowieza”, refere uma declaração de Katarzyna Jagiello, ativista do Greenpeace na Polónia. “O ministro (do Ambiente) não compreende que o escaravelho é um visitante frequente e natural, que sempre existiu e que a floresta conseguiu-lhe sobreviver”, acrescentou.

A Bialowierza é um dos últimos vestígios de uma imensa floresta que outrora atravessou a Europa. Atualmente estende-se por uma área de 150 mil hectares na Polónia e Bielorussia.
Na Bielorrúsia toda a floresta está protegida como um parque natural, mas tal acontece apenas relativamente a uma área da floresta na Polónia.

Cerca de 20 mil espécies de animais encontram-se na floresta, que conta com árvores de 50 metros de altura.

Foi classificada pela Unesco como Património da Humanidade em 1979. Está previsto que uma delegação da organização das Nações Unidas visite Bialowierza entre 4 e 8 de junho para estudar a situação.