Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Grécia começa a realojar 8400 refugiados concentrados em Idomeni

  • 333

SAKIS MITROLIDIS

De acordo com um correspondente da “Der Spiegel” no terreno, polícia grega quer concluir a operação de retirar todos os requerentes de asilo da pequena aldeia na fronteira com a Macedónia dentro de dez dias

A Grécia começou a evacuar a pequena aldeia de Idomeni, na fronteira com a República da Macedónia, onde mais de 8400 refugiados têm estado a viver há vários meses em campos improvisados com poucas condições.

A operação começou às primeiras horas da madrugada desta terça-feira, com testemunhas a relatarem que carros da polícia e autocarros aguardavam para transferir estas pessoas para infraestruturas com melhores condições e mais organizadas. Os jornalistas concentrados no local foram impedidos de aceder ao campo improvisado e a polícia de choque foi destacada para o local, embora as autoridades tenham garantido que a força não será usada.

De acordo com um correspondente da revista alemã "Der Spiegel", Giorgos Christides, em declarações à BBC, a polícia está determinada a esvaziar a pequena faixa de terra na fronteira num prazo de dez dias, levando os mais de 8400 refugiados para campos espalhados pelo país.

A pequena aldeia grega de 194 habitantes tornou-se em 2015 um ponto incontornável de passagem na chamada rota dos Balcãs para as centenas de milhares de pessoas que fogem de guerras e repressões em países do Médio Oriente e de África.

Em fevereiro deste ano, foram erguidas centenas de tendas naquela zona para acodomodar os mais de oito mil refugiados que ficaram encurralados ali e impedidos de seguir caminho assim que a Macedónia encerrou a fronteira – na sua maioria sírios, iraquianos e afegãos, que se recusavam até agora a ir para outro sítio apesar das condições difíceis daquele campo, por temerem ficar mais longe da fronteira.