Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Avião da Egyptair emitiu alerta de fumo a bordo

  • 333

ETIENNE LAURENT/EPA

Imprensa egípcia avança que foi encontrada a primeira das duas caixas negras do aparelho que se despenhou quinta-feira no mar Mediterrâneo

O passar das horas vai trazendo novas revelações sobre o que terá acontecido ao avião da EgyptAir que se despenhou na madrugada de quinta-feira, no mar Mediterrâneo, com 66 pessoas a bordo.

A imprensa egípcia dá conta de que já terá sido localizada uma das caixas negras do aparelho, informação que foi confirmada por fontes próximas do Governo egípcio à CBS News. As equipas no local estão ainda a tentar recuperá-la.

Às primeiras horas de sábado, a agência francesa que está a investigar a queda do voo MS804 confirmou que o aparelho emitiu sinais de alerta de fumo no interior da cabina pouco antes de desaparecer dos radares.

Foi detetada a presença de fumo numa casa de banho e na parte eletrónica da aeronave, segundo dados recolhidos pelo sistema de comunicação ACARS (Aircraft Communications Addressing and Reporting System), que envia regularmente dados às companhias aérias sobre o estado do equipamento dos seus aviões.

Os avisos emitidos pela aeronave foram recebidos por volta das 2h26 da manhã (hora local), imediatamente antes dos controladores de tráfego aéreo perderem contacto com o avião.
Sebastien Barthe, porta-voz da agência francesa de investigação aeronática, disse à Associated Press que, habitualmente, os sinais emitidos “indicam o início de um incêndio”. O responsável acrescentou, no entanto, que ainda não é possível tirar conclusões. “Tudo o mais são conjeturas”, concluiu.

O editor da revista Aviation Security International disse à BBC que não é possível descartar que se possa ter tratado de uma falha técnica.

“Havia indicação de fumo na casa de banho da aeronave, nos sistemas eletrónicos, e durante um período de três minutos os sistemas da aeronave foram abaixo, e isso poderá indiciar que não se tratou de um sequestro, ou que provavelmente não existiu qualquer luta no cockpit, que terá havido com maior probabilidade um incêndio a bordo”, explicou Philip Baum.

“Se o incêndio foi causado por problemas técnicos, um curto-circuito, ou porque uma bomba explodiu a bordo, isso não sabemos”, acrescentou.

Na sexta-feira, foram avistados a boiar no Mediterrâneo alguns destroços do aparelho da EgyptAir que fazia a ligação entre Paris e o Cairo, entre os quais terá sido encontrada parte de um corpo.

Foram levantadas suspeitas de que poderia ter sido colocada uma bomba a bordo, mas até ao momento nenhum grupo reivindicou a autoria de um ataque terrorista.

[Notícia atualizada às 12h50]