Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Voo da EgyptAir. França afasta possibilidade de terrorismo para já

  • 333

CHRISTIAN HARTMANN / Reuters

Em entrevista à France 2 esta manhã, o chefe da diplomacia francesa diz que ainda “não há nenhuma indicação das causas” do desaparecimento do voo MS804 ao largo da costa grega de Karpathos

"Todas as hipóteses estão a ser examinadas mas nenhuma é privilegiada, porque não temos absolutamente nenhuma indicação das causas." Assim falou esta sexta-feira de manhã, em declarações ao canal de televisão France 2, Jean-Marc Ayrault, ministro francês dos Negócios Estrangeiros, sobre o que poderá ter levado o voo MS804 da companhia EgyptAir a desaparecer dos radares na madrugada da véspera e a despenhar-se no Mediterrâneo.

Ao mesmo canal, o chefe da diplomacia francesa acrescentou que este sábado vai reunir-se com as famílias dos passageiros franceses que seguiam a bordo do aparelho e com representantes de Estado, "para prestar o máximo de informações com toda a transparência".

Neste momento, as autoridades do Egito em parceria com a Grécia, França e Reino Unido estão a intensificar as buscas ao largo da ilha grega de Karpathos, onde o avião foi detado pela última vez antes de desaparecer dos sistemas de radares pelas 2h45 da madrugada de quinta-feira (menos uma hora em Lisboa), cerca de três horas e 40 minutos depois de o Airbus A320 ter partido do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, com destino ao Cairo.

Esta quinta-feira, a aviação civil grega e as autoridades do Egito confirmaram que o avião fez duas curvas apertadas no ar antes de perder 35 mil pés de altitude, despenhando-se no Mediterrâneo. Em declarações aos jornalistas, o ministro egípcio da Aviação declarou que é mais provável que a queda do MS804 tenha sido provocada por um ato terrorista e não por falhas ténicas.

A bordo do MS804 seguiam 30 cidadãos egípcios, 15 franceses, um português entretanto identificado, dois iraquianos, um britânico, um belga, um saudita, um sudanês, um cidadão do Chade, um da Argélia, um canadiano e um nacional do Kuwait. Segundo a EgyptAir, entre os 56 passageiros contavam-se duas crianças pequenas e um bebé. Para além destes, seguiam a bordo sete membros da tripulação, incluindo os dois pilotos, e três seguranças da empresa de aviação comercial.

Na quinta-feira à tarde, a EgyptAir tinha dito que os primeiros destroços do avião já tinham sido encontrados, mas essa informação foi desmentida pela Grécia perto da meia-noite.

  • Intensificam-se buscas pelo avião da EgyptAir que caiu no Mediterrâneo

    Companhia aérea tinha anunciado, na quinta-feira à tarde, que primeiros destroços do Airbus A320 tinham sido encontrados mas essa informação viria a ser desmentida à noite pelas autoridades gregas. Reino Unido juntou-se esta manhã à operação de busca ao largo da ilha grega de Karpathos, onde o avião foi detetado pela última vez antes de desaparecer dos radares na madrugada de quinta-feira, com 66 pessoas a bordo