Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Intensificam-se buscas pelo avião da EgyptAir que caiu no Mediterrâneo

  • 333

REUTERS TV

Companhia aérea tinha anunciado, na quinta-feira à tarde, que primeiros destroços do Airbus A320 tinham sido encontrados mas essa informação viria a ser desmentida à noite pelas autoridades gregas. Reino Unido juntou-se esta manhã à operação de busca ao largo da ilha grega de Karpathos, onde o avião foi detetado pela última vez antes de desaparecer dos radares na madrugada de quinta-feira, com 66 pessoas a bordo

Buscas intensivas para encontrar o avião da EgyptAir que desapareceu na quinta-feira com 66 pessoas a bordo enquanto sobrevoava o mar Mediterrâneo continuam em marcha esta sexta-feira, levadas a cabo pelas autoridades do Egito com o apoio de unidades militares da Grécia, de França e do Reino Unido ao largo da ilha grega de Karpathos – onde o voo foi detetado pela última vez.

O voo MS804 estava em rota de Paris para o Cairo com 10 tripulantes e 56 passageiros a bordo, incluindo um cidadão português entretanto já identificado, quando desapareceu dos radares pelas 2h45 locais da madrugada de quinta-feira (menos uma hora em Lisboa), logo a seguir a entrar no espaço aéreo egípcio.

O primeiro alerta foi dado por controladores aéreos da Grécia. Entretanto, as autoridades do país avançaram, com base nos registos disponíveis, que o Airbus A320 fez duas curvas apertadas no ar e caiu mais de 25 mil pés de altitude antes de se despenhar no mar.

O Egito continua a sublinhar que, neste momento, tudo aponta para que o avião tenha sido alvo de um atentado terrorista e não de uma falha técnica mas só quando as caixas negras do voo forem encontradas e o seu conteúdo analisado é que tal poderá ser confirmado com certeza. Para já, ainda nenhum grupo reivindicou o possível ataque.

A confirmar-se que houve intenção danosa, este atentado acontece sete meses depois de um filiado do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) na península egípcia do Sinai ter assumido que instalou uma bomba dentro de um avião de passageiros russo que, em outubro passado, caiu com 224 pessoas a bordo pouco depois de partir da estância balnear egípcia de Sharm el-Sheikh.

Na quinta-feira, horas depois de o voo ter sido dado como desaparecido, a EgyptAir avançou que tinham sido encontrados os primeiros destroços do MS804. Já à noite, essa informação viria a ser desmentida pelas autoridades gregas, relançando esta manhã as buscas urgentes pelo avião desaparecido.