Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O que já se sabe e o que está por apurar sobre o voo MS804

  • 333

O voo MS804 que saiu de Paris com destino ao Cairo terá caído em pleno Mediterrâneo

Flightradar24.com / Reuters

Últimas informações avançadas pela companhia dão conta de que um dos aparelhos de emergência do Airbus A320 emitiu um alerta duas horas antes de o voo ter desaparecido dos radares, em rota de Paris para o Cairo com 66 pessoas a bordo, incluindo um cidadão português

Um voo da EgyptAir que transportava 56 passageiros, incluindo duas crianças e um bebé, sete tripulantes e três seguranças da companhia aérea desapareceu esta madrugada dos radares enquanto sobrevoava o Mediterrâneo.

As autoridades de aviação perderam contacto com o voo pelas 2h45 da madrugada (1h45 em Lisboa), três horas e 40 minutos depois de o avião ter descolado do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, em direção ao Cairo.

Eis o que já se sabe e o que ainda está por apurar sobre o incidente:

* O Airbus A320 deixou de responder aos contactos das autoridades de aviação dez minutos antes de desaparecer dos radares, 280 quilómetros a norte da costa egípcia, pelas 2h30 locais desta quinta-feira (menos uma hora em Lisboa)

* Marinha, Força Aérea e Guarda Costeira egípcias estão envolvidas nas buscas, que estão a ser conduzidas na zona onde o avião foi detetado pela última vez antes de desaparecer dos radares. De acordo com vários media, a Grécia já enviou dois aviões e uma fragata para o local a fim de ajudar na operação, tendo helicópteros preparados para partirem para aquela zona se as operações de busca assim o exigirem

* Segundo informações da EgyptAir, o voo MS804, com capacidade para transportar 170 passageiros, seguia com 56 passageiros a bordo: um português, 30 egípcios, 15 franceses, dois iraquianos, um britânico, um belga, um saudita, um sudanês, um cidadão do Chade, um da Argélia, um canadiano e um nacional do Kuwait

* Inicialmente, o chefe da aviação civil do Egito, Ehab Mohy el-Deen, bem como fontes da empresa, disseram que nenhum sinal de emergência foi emitido e que os pilotos "não pediram ajuda via rádio nem [o voo] perdeu altitute, simplesmente desapareceu."

* Entretanto, pelas 7h30 em Lisboa, novas informações foram avançadas dando conta de que um dos aparelhos de emergência do avião, possivelmente um transmissor de localização, enviou um sinal de socorro pelas 4h26 da manhã, duas horas antes de o último radar ter perdido o rasto ao MS804

* Duas horas depois, fonte da Guarda Costeira grega disse à AFP que o capitão de um navio mercante viu "uma chama no ar" a cerca de 130 milhas náuticas a sul da ilha grega de Karpathos. "Às 00h29 [2h29 desta madrugada em Lisboa], quando já se encontrava no espaço aéreo egípcio, o avião desapareceu dos radares gregos e terá caído [ao mar] a cerca de 130 milhas náuticas a sul da ilha de Karpathos", avançou a fonte sob anonimato à agência.

* Especialistas em segurança aérea dizem ser improvável que o avião tenha sido abatido como aconteceu com um outro voo em 2014, durante um sobrevoo pelo Leste da Ucrânia. Fonte das autoridades egípcias diz que o mais provável é que o avião tenha caído ao mar, por razões para já desconhecidas

* De acordo com a EgyptAir na sua conta oficial no Twitter, o primeiro-ministro egípcio Sherif Ismail já está no aeroporto internacional do Cairo a prestar apoio às famílias dos egípcios desaparecidos. "O engenheiro Ismail já ordenou a todas as autoridades que tomem as ações necessárias para lidar com a crise", avança a empresa