Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Aumentam suspeitas de que voo da EgyptAir caiu perto da ilha grega de Karpathos

  • 333

Christoph Schmidt / EPA

Informação está a ser avançada pela AFP, citando uma fonte da Guarda Costeira grega, que foi informada pelo capitão de um navio mercante sobre "uma chama no céu” a sul daquela ilha. Chefes de governo do Egito e de França não excluem, para já, qualquer possibilidade, incluindo a de atentado. O aparelho emitiu um alerta, o que indica que teria um problema técnico. Voo MS804 seguia de Paris para o Cairo com 66 pessoas a bordo, entre os quais um português, cuja identidade ainda não é conhecida

As informações e suspeitas sobre o que poderá ter acontecido ao voo MS804 da EgyptAir, que desapareceu dos radares esta madrugada em rota de Paris para o Cairo, continuam a amontoar-se, tornando difícil perceber o que está por trás desse desaparecimento três horas e quarenta minutos depois de o avião ter partido do aeroporto Charles de Gaulle às 23h09 de quarta-feira. Seguiam a bordo dele 66 pessoas, incluindo sete tripulantes, três seguranças da companhia aérea e 56 passageiros, entre eles um cidadão português, duas crianças e um bebé.

Horas depois de a companhia aérea egípcia ter dado o primeiro alerta de desaparecimento do Airbus A320 na sua conta oficial de Twitter, pelas 6h da manhã em Lisboa, as autoridades egípcias disseram que, neste momento, tudo aponta para que o avião se tenha despenhado no mar Mediterrâneo – mas onde em específico não se sabe para já.

Segundo fontes da empresa e das autoridades egípcias citadas pela Reuters, as autoridades gregas informaram que o capitão de um navio mercante disse ter visto "uma chama no céu" ao largo da ilha grega de Karpathos, no mar Egeu. À AFP, uma fonte grega disse que "pela 00h29 [2h29 desta madrugada em Lisboa], quando já se encontrava no espaço aéreo egípcio, o avião desapareceu dos radares gregos e terá caído [ao mar] a cerca de 130 milhas náuticas a sul da ilha de Karpathos".

As autoridades de aviação egípcias tinham avançado, horas antes, que perderam contacto com o Airbus A320 quando este se encontrava 280 quilómetros a norte da costa egípcia, numa altura em que voava a 37 mil pés de altitude.

Citado pelos media egípcios, o primeiro-ministro do país, Sherif Ismail, diz que nenhuma possibilidade está excluída para já, quando questionado pelos jornalistas no aeroporto do Cairo sobre a possibilidade de um atentado terrorista. Segundo Ismail, formado em engenharia, não houve nenhum pedido de ajuda pelos pilotos do MS804, mas as autoridades de aviação captaram de facto um "sinal" que foi emitido pelos sistemas de emergência do avião duas horas antes de terem perdido contacto com os pilotos.

Também o primeiro-ministro de França diz que todas as possibilidades estão a ser consideradas neste momento. "Nenhuma teoria pode ser excluída para já", disse Manuel Valls à rádio RTL. "Estamos em contacto com as autoridades egípcias, tanto civis como militares. Elas já enviaram equipas de reconhecimento para o local [do desaparecimento] e França está preparada para ajudar nas buscas se as autoridades egípcias o pedirem."

Segundo a EgyptAir, a bordo do voo MS804 seguiam 30 egípcios, 15 franceses, dois iraquianos, um português, um britânico, um belga, um saudita, um sudanês, um cidadão do Chade, um da Argélia, um canadiano e um nacional do Kuwait. Em declarações à agência Lusa, fonte da secretaria de Estado das Comunidades disse que "já há confirmação oficial da nacionalidade do passageiro", explicando que para já "ainda não se sabem mais pormenores" sobre a identidade dessa vítima.

  • Voo MS804 da EgyptAir. Terá sido um atentado?

    Esta é uma de muitas questões relacionadas com o desaparecimento do voo que partiu na noite de quarta-feira do aeroporto Charles de Gaulle em Paris em direção ao Cairo. Primeiro-ministro egípcio não exclui qualquer possibilidade, incluindo a de que o Airbus A320 com 66 pessoas a bordo, incluindo um português, possa ter sido alvo de um ataque terrorista. O capitão de um navio mercante revelou ter visto “uma chama no céu” a cerca de 130 milhas náuticas a sul da ilha grega de Karpathos. Um alerta dado pelo aparelho indica que teria um problema técnico

  • O que já se sabe e o que está por apurar sobre o voo MS804

    Últimas informações avançadas pela companhia dão conta de que um dos aparelhos de emergência do Airbus A320 emitiu um alerta duas horas antes de o voo ter desaparecido dos radares, em rota de Paris para o Cairo com 66 pessoas a bordo, incluindo um cidadão português