Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atentados de Paris. Justiça francesa pede entrega de quatro suspeitos que estão na Bélgica

  • 333

Três dos suspeitos são acusados de ajudar à fuga de Salah Abdeslam, único autor material sobrevivente

A justiça francesa pediu esta quinta-feira o reencaminhamento de quatro suspeitos formalmente acusados na Bélgica, no caso dos atentados de Paris de 13 de novembro, três deles de ajudar à fuga de Salah Abdeslam, único autor material sobrevivente.

Fontes concordantes citadas pela agência de notícias francesa AFP indicaram que os mandados de prisão europeus, emitidos no fim de abril, são para Mohammed Amri e Hamza Attu, que levaram Salah Abdeslam a Bruxelas algumas horas após os atentados de Paris, e para Ali Ulkadi, que o transportou na capital belga a 14 de novembro.

Foi também emitido um mandado para Mohamed Bakkali, acusado de ter desempenhado o papel de responsável da logística para a célula 'jihadista', precisaram as fontes próximas da investigação.

Os suspeitos devem agora ser notificados dos mandados, para se poder iniciar o processo do seu reencaminhamento para França.

"Tendo em conta a boa cooperação entre a França e a Bélgica nesta investigação, podemos esperar que eles sejam transferidos bastante rapidamente", disse Olivier Morice, que representa cerca de 30 partes civis no caso.

Mohammed Amri, de 27 anos, e Hamza Attu, de 21, foram detidos a 14 de novembro em Molenbeek, periferia de Bruxelas,

Segundo as declarações de Attu, que sofreram alterações ao longo das audições, Salah Abdeslam ter-lhe-á confidenciado que o seu cinto de explosivos não tinha funcionado na noite de 13 de novembro.

Ali Ulkadi, um francês de Molenbeek, de 31 anos, transportou Abdeslam em Bruxelas no dia a seguir aos atentados. Conhecia-o, porque ele era "um dos melhores amigos" do seu irmão mais velho, Brahim, que se fez explodir na esplanada de um bar no leste de Paris, a 13 de novembro.

Quanto a Mohamed Bakkali, de 28 anos, tinha alugado um BMW, identificado muito perto de três casas em Schaerbeek (Bruxelas), Charleroi e Auvelais (sul) e que serviu para preparar os atentados. É igualmente suspeito de ter arrendado dois desses esconderijos.
Salah Abdeslam, entregue a 27 de abril às autoridades francesas, deve ser ouvido pela primeira vez na sexta-feira pelos juízes de instrução franceses no âmbito deste caso.

Os atentados cometidos numa sala de concertos, esplanadas de bares e restaurantes e junto a um estádio de futebol fizeram 130 mortos e centenas de feridos. Foram reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico.