Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“The Sun” safa-se de consequências práticas no caso da manchete “enganosa” sobre a Rainha e a UE

  • 333

Chris Jackson

Palácio de Buckingham exigiu que regulador para a comunicação social analisasse possíveis violações do Código de Ética e Deontologia pelo tablóide britânico quando, em março, fez capa com uma notícia sobre o suposto apoio de Isabel II ao Brexit

O tablóide britânico “The Sun” foi esta quarta-feira acusado de violar as regulações da imprensa, em particular a alínea que dita que os jornalistas devem investigar e noticiar com rigor, quando publicou na primeira página da edição de 9 de março deste ano uma manchete que sugeria que a Rainha Isabel II é a favor da saída da União Europeia.

A manchete “Rainha apoia Brexit”, contra a qual o Palácio de Buckingham apresentou uma queixa formal junto da entidade reguladora para a comunicação social do país (Ipso), foi “significativamente enganosa”, declarou esta quarta-feira esse organismo, ordenando o tablóide a publicar a sua decisão formal “como errata”.

Perante as queixas da família real britânica, o “The Sun” defendeu na altura a sua história, prometendo lutar “vigorosamente” contra quaisquer represálias. Na conclusão da IPSO sobre o caso, a entidade declara que o jornal não violou o Código de Conduta mas sublinha, ainda assim, que “foi uma afirmação factual a de que a Rainha tinha assumido uma posição no debate sobre o referendo e [que] não havia nada na manchete, nem na forma como o jornal a apresentou na primeira página, que sugerisse que tal era apenas uma conjetura, uma hipérbole ou que não era para ser lida de forma literal”.

No link para o artigo em questão, o editor de política nacional do jornal, Tom Newton Dunn, tinha acrescentado um segundo artigo a questionar se “os eleitores não têm o direito a saber o que a Rainha pensa sobre a UE?”, no qual começa por sublinhar que as revelações do tablóide sobre uma alegada conversa entre Isabel II e o europeísta Nick Clegg (quando este era vice-primeiro-ministro) “vão potenciar uma querela todo-poderosa, porque não há nada que a Rainha deteste mais do que ser arrastada para uma briga política”.

Nessa mesma página foi entretanto adicionado um link que remete para a decisão formal da entidade reguladora, sob o título “IPSO decide contra a manchete da Rainha do The Sun”.