Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trégua violada. Novos confrontos em Nagorno-Karabkh

  • 333

AFP/Getty

Chefes de Estado da Arménia e do Azerbaijão comprometeram-se em Viena a respeitar a trégua acordada há 22 anos para a região de Nagorno-Karabakh. Menos de 24 horas depois, ambos os lados denunciam violações do acordo

Poucas horas depois de o Presidente da Arménia Serzh Sargsyan e o seu homólogo do Azerbaijão Ilham Aliyev terem reiterado o compromisso de uma trégua para a região de Nagorno-Karabakh, há denúncias de violações do acordo.

O Ministério da Defesa do Azerbaijão anunciou que um dos militares do país foi morto, na sequência de um ataque levado a cabo pela Arménia, que desrespeitou o acordo de cessar-fogo. As forças do Azerbaijão não hesitaram em responder ao ataque, tendo sido também registadas vítimas do lado da Arménia em novos confrontos, avança a agência de notícias turca Anadolu.

Esta segunda-feira, os chefes de Estado da Arménia e do Azerbaijão comprometeram-se em Viena a respeitar a trégua acordada há 22 anos para a região de Nagorno-Karabakh. A reunião que foi convocada com urgência, devido ao reacender da violência que causou mais de uma centena de mortos no mês passado, foi mediada pelos EUA, Rússia e França, em conjunto com a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

Os líderes dos dois países acordaram ainda a realização de uma nova ronda de negociações em junho para a resolução do conflito, além do reforço da monitorização do cessar-fogo, que passará pela conclusão de um plano de acompanhamento por parte da OSCE.

“Os Presidentes [da Arménia e do Azerbaijão] reiteraram o seu compromisso para o cessar-fogo e a resolução pacífica do conflito. Para reduzir o risco de aumentar a violência, acordaram também em concluir o mais rápido possível um mecanismo de investigação por parte da OSCE”, refere um comunicado-conjunto dos dois países.

Os dois estados da ex-União Soviética estão a disputar desde o início da década de 90 a região de Nagorno-Karabakh, tendo sido alcançada uma trégua em 1994 que tem sido desrespeitada por ambas as partes.