Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Como seria hoje a explosão de uma bomba atómica?

  • 333

Imagens do impacto da bomba atómica em Hiroshima

Junko Kimura/Getty Images

E se premir um botão bastasse para causar milhares, ou mesmo milhões de mortos? O site Nukemap dá-lhe a hipótese de detonar uma bomba nuclear e assistir aos seus efeitos devastadores, em qualquer lugar do mundo

Falta uma semana e meia para que se cumpra a visita do Presidente Barack Obama a Hiroshima - uma das duas cidades japonesas atingidas por bombas atómicas norte-americanas em agosto de 1945.

A este propósito, o novo site The Future of Life Institute desenvolveu uma aplicação interativa onde pode simular-se, com grande precisão, o impacto de uma bomba nuclear, bem como as consequências da sua detonação sobre a superfície terrestre.

Um mapa com uma lista de alvos nucleares dos EUA em 1956 (que deixaram de ser considerados secretos), onde constam 1100 locais na Europa de Leste, Rússia, China e Coreia do Norte, foi publicado recentemente pelos Arquivos de Segurança Nacional norte-americanos. Através destes poder-se-á ter uma ideia das consequências catastróficas de uma hipotética guerra nuclear entre Estados Unidos e Rússia, pode ler-se na página do Future of Life Institute.

Além dos locais apresentados, o mapa interativo Nukemap permite também ao utilizador colocar outras cidades como alvo de um ataque nuclear. Poderá eleger o seu bairro, uma infrastrutura, um país do outro lado do mundo.

Mapa interativo que permite simular um ataque atómico

Mapa interativo que permite simular um ataque atómico

Nukemap

Em seguida, poderá escolher uma bomba entre uma extensa lista de arsenal atómico - da “Davy Crockett”, a mais pequena bomba nuclear construída pelos EUA, à “Tsar Bomba”, a mais potente bomba concebida na ex-URSS - e detoná-la. A destruição causada à superfície é devastadora, a contabilização de mortos assustadora.