Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

No Canadá, pais que não querem vacinar os filhos terão de assistir a uma aula de ciências

  • 333

Sean Gallup/Getty Images

Província de Ontário quer aprovar uma lei que obrigue os pais a perceber a importância da vacinação antes de optarem por não imunizar os filhos

A província de Ontário, no Canadá, quer tomar medidas para combater a cada vez mais generalizada opção de os pais não vacinarem os seus filhos.

A intenção do Ministério da Saúde é obrigar os progenitores que rejeitam a vacinação a assistir a uma aula de ciências, para que percebam a importância da prevenção, não só para os seus filhos, mas para resto da sociedade.

Caso a proposta ganhe força de lei, estes pais terão de assistir à aula, entendida como uma sessão de informação, antes de efetuarem o pedido de isenção de vacinação. O próprio conteúdo desta aula será determinado depois de consultadas, nomeadamente as unidades públicas de saúde.

Ontário foi a primeira província do país, em 1982, a introduzir como condição de acesso escolar a obrigatoriedade de vacinação contra certas doenças, como difteria, tétano, poliomielite e sarampo, ficando apenas dispensadas as crianças que tenham uma declaração médica que o justifique.

O projeto de lei foi anunciado depois de 600 alunos terem sido suspensos por não terem em dia o boletim de vacinas. Outras medidas podem vir a ser tomadas, ao abrigo de uma estratégia a cinco anos, que inclui a criação de um serviço online para ajudar os pais a acompanhar e cumprir o calendário de vacinação.