Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Boris Johnson ameaça canal de TV por não o convidar para debate com Cameron

  • 333

STR

Em comunicado, a campanha pela saída da União Europeia (Brexit), liderada pelo ex-autarca de Londres, acusa ITV de “efetivamente se juntar à campanha pela permanência” do país no bloco europeu

O maior canal privado de televisão do Reino Unido foi ameaçado pela campanha oficial a favor da Brexit (saída da União Europeia), que avisou a emissora de que haverá "consequências para o seu futuro" por não ter convidado nenhuma das caras da campanha para um debate entre Nigel Farage e David Cameron, que o líder do partido anti-europeísta UKIP e o primeiro-ministro conservador irão discutir o futuro do país dentro ou fora da UE antes do referendo marcado para 23 de junho.

Num comunicado críptico emitido na quarta-feira à noite e citado pelo "The Independent" esta manhã, a campanha pró-Brexit acusou o ITV de "mentir" sobre os seus planos para convidar Farage a debater o assunto com Cameron em vez de Michael Gove ou Boris Johnson, os dois homens fortes desse lado da barricada, ambos membros do Partido Conservador que está no poder.

No documento, a campanha liderada por Johnson — autarca de Londres desde 2008 que está agora a abandonar o cargo após o candidato trabalhista pró-UE, Sadiq Kahn, ter vencido as eleições locais desta semana — diz que o editor de política do ITV, o prestigiado Robert Peston, é "tendencioso" a favor da permanência na UE e que o canal "firmou um acordo secreto" com Downing Street para impedir a participação de Gove ou Johnson no debate.

"O ITV juntou-se efetivamente à campanha oficial pela permanência [na UE]", lê-se no comunicado. "Haverá consequências no seu futuro, as pessoas que estão no n.º 10 não ficarão lá por muito mais tempo."

Esta quinta-feira de manhã, o "The Independent" tentou apurar junto do porta-voz da campanha pela Brexit que "consequências" são essas; a fonte recusou-se a avançar pormenores sobre isso, defendendo o comunicado oficial.

Se os resultados do referendo de 23 de junho derem a vitória aos que querem abandonar o bloco europeu, é esperado que David Cameron se demita de um cargo que Johnson deseja há muito e que provavelmente será assumido por ele nesse cenário. É também esperado que o ex-autarca londrino explique publicamente de que consequências fala no comunicado dirigido ao ITV.

O debate em questão terá lugar dia 7 de junho, duas semanas antes do referendo convocado por Cameron em fevereiro. Nesse dia, o primeiro-ministro e o líder do UKIP vão debater a Brexit em direto durante uma hora, respondendo depois a questões de uma plateia de 200 pessoas.