Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Professores do Uzbequistão pagos em pintainhos

  • 333

Getty

No ano passado foram batatas, cenouras e abóboras, agora pintainhos. A situação de rutura financeira no Uzbequistão leva o Estado a soluções criativas para procurar honrar as suas obrigações

Professores da cidade de Nukus, no Uzbequistão, têm estado a receber pintainhos como pagamento dos seus salários, segundo noticia a BBC com base em dados difundidos pela Radio Ozodlik.

“O ano passado pagaram-nos com batatas, cenouras e abóboras. Este ano estão a obrigar-nos a levarmos para casa galinhas recém-nascidas, em lugar dos nossos salário. Se quisermos galinhas, nós podemos comprá-las num mercado a um preço muito mais baixo”, afirmou à rádio um professor, que descreveu a situação como “vergonhosa”.

Outro professor indicou que as contas estão a ser a cerca de 2,2 euros por pintainho, o que corresponde a mais do dobro do seu preço nos mercados locais.

O Uzbequistão encontra-se há anos numa situação de rutura financeira, o que tem levado a atrasos nos pagamentos dos salários do funcionários públicos e de pensões. Na capital, Tashkent, funcionários públicos queixam-se de estarem com dois meses de salários em atraso.