Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia investiga possível atentado terrorista em Munique

Johannes Simon

Um homem foi detido após esfaquear passageiros na estação de comboios de Grafing. Uma das vítimas sucumbiu aos ferimentos e outras três ficaram feridas com gravidade. Autarca diz que suspeito é “de nacionalidade alemã”

Um homem morreu e outras três pessoas ficaram feridas num esfaqueamento que ocorreu esta terça-feira pelas 5h da manhã em Munique (menos uma hora em Portugal), na estação de comboios de Grafing. A polícia está a investigar o caso como um possível atentado terrorista, após testemunhas no local dizerem que o suspeito foi ouvido a gritar "Allah-u-akbar" ("Alá é grande", em árabe) enquanto atacava os passageiros.

Inicialmente, fontes no terreno avançaram que havia pelo menos cinco feridos, com uma estação de rádio da Baviera a falar em quatro feridos graves. Pelas 8h30 da manhã em Lisboa, as autoridades confirmaram que uma das vítimas do esfaqueamento morreu após sucumbir aos ferimentos e que há pelo menos mais três feridos, um deles em estado grave, avança a BBC.

Um suspeito já foi detido e a polícia local está a tentar identificá-lo. Os motivos do ataque continuam por desvendar. Um porta-voz da polícia da Baviera do Norte diz, citado pela BBC, que uma possível "motivação política" não foi excluída.

De acordo com a rádio pública da Baviera, o procurador-geral de Munique ordenou aos media locais que não publiquem mais notícias sobre o ataque para já, perante um cenário de informações contraditórias no terreno. A autarca de Grafing, Angelika Obermayr, disse ao jornal "Süeddeutsche Zeitung" que o suspeito é um cidadão alemão.

"A ideia de que as pessoas entram no comboio S-Bahn numa linda manhã ou estão a ler os jornais e se tornam vítimas de um maníaco é terrível", lamentou. Uma das plataformas da estação de comboios já foi interdita a passageiros, registando-se atrasos no tráfego ferroviário.