Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Um domingo difícil para Tsipras. Gregos na rua contra aumento de impostos

  • 333

Carl Court/Getty

O Parlamento grego vota esta noite um pacote de medidas austeritárias, exigidas pelos credores. As manifestações começaram ao fim da manhã e vão prolongar-se até à hora da votação

Cerca de 15 mil pessoas protestaram este domingo em Atenas e Salónica, a segunda maior cidade do país, “contra a reforma das pensões que será submetida a votação durante do dia de hoje”, escreve a agência Lusa.

O jornal grego “Ekathimerini” explica que a Comissão de Assuntos Financeiros e Sociais do Parlamento grego aprovou na última sexta-feira um conjunto de alterações legislativas muito polémicas sobre o sistema de segurança social e a regulamentação fiscal.

De acordo com a edição em inglês do “Ekathimerini”, a votação contou com a presença quase exclusiva de deputados da coligação que apoia o Governo de Tsipras (Syriza e Nacionalistas Gregos Independentes).

A aprovação destas medidas pela comissão parlamentar setorial originou uma onda de greves “em todo o país no fim de semana”. De acordo com o diário grego, o hemiciclo votará este projeto ao final do dia deste domingo.

Aumento das contribuições e impostos

As medidas que estão a ser contestadas nas ruas de Atenas e de Salonica preveem aumentos das contribuições para a segurança social e dos impostos. A votação desta noite é um teste às políticas do primeiro-ministro Alexis Tsipras. Recorde-se que este pacote austeritário que vai hoje a votos faz parte das medidas exigidas pela União Europeia e Fundo Monetário Internacional (FMI).

Domingo de protesto

A Lusa diz que “os protestos começaram hoje ao final da manhã com a Frente de Luta dos Trabalhadores (Pame), considerada próxima do partido comunista grego”: Segurança social pública e obrigatória para todos”, era o que se lia no cartaz do sindicato, enquanto os manifestantes gritavam palavras de ordem como “Não à dissolução do sistema de segurança social” e “Não à continuação da austeridade”.

Amanhã, segunda-feira, os ministros das Finanças dos Estados-membros da zona euro reúnem-se em Bruxelas, para discutir as reformas realizadas pela Grécia como contrapartida do empréstimo internacional concedido ao país em 2015.