Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Marcelo no Parlamento de Maputo com Frelimo e oposição

  • 333

Marcelo Rebelo de Sousa com a Presidente do Parlamento de Moçambique, Verónica Macamo

JOÃO RELVAS/LUSA

“A democracia constrói-se todos os dias”, disse o Presidente português no final do encontro, garantindo que Portugal “acompanha o percurso de construção, que é complexo, da democracia moçambicana

O Presidente português foi recebido esta quinta-feira em Maputo com a presidente da Assembleia da República de Moçambique, numa reunião em que estiveram representantes da Frelimo, o poder, mas também da Renamo e do MDM, partidos da oposição.

No final do encontro, o chefe de Estado português salientou essa presença, dirigindo-se para Verónica Macamo: "Vossa excelência quis estar acompanhada de representantes da Renamo, da Frelimo e do MDM, num sinal daquilo que verdadeiramente nós conhecemos também em Portugal, que é na nossa Assembleia da República termos representações de partidos que traduzem a vontade popular".

"A democracia constrói-se todos os dias. Não é uma construção fácil, mas é uma construção necessária, porque a pior das democracias é sempre melhor do que a melhor das ditaduras. E todos os dias se deve lutar para não haver a tentação de regressar à violência, à guerra, à divisão, à ditadura", acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa.

Nesta reunião na Assembleia da República de Moçambique estiveram presentes os líderes parlamentares da Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique), Margarida Talapa, da Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), Ivone Soares, e do MDM (Movimento Democrático de Moçambique), Lutero Simango.

O Presidente português declarou que Portugal "acompanha o percurso de construção, que é complexo, da democracia moçambicana" e acredita que, apesar de "todos os sobressaltos", há em Moçambique "uma ideia clara que é afirmar a paz, garantir a unidade do Estado, respeitar o pluralismo político, afirmar os direitos humanos, garantir o rigor financeiro e olhar para os objetivos sociais".

Por sua vez, a presidente da Assembleia da República de Moçambique manifestou alegria pelo facto de o Presidente português "ter escolhido Moçambique como o primeiro país a visitar em visita de Estado".

"Nós estamos aqui a acarinhar a paz, a fazer tudo o que é possível", disse Verónica Macamo. "Sentimos que a nossa grande obrigação é de tudo fazermos para que haja entendimento", acrescentou.