Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Fogo obriga a evacuação total de cidade canadiana

  • 333

CBC NEWS

Os 80 mil habitantes de Fort McMurray receberam indicações para abandonarem a cidade. Pelo menos um bairro inteiro dos suburbios já foi consumido pelas chamas

Grande parte dos 80 mil habitantes de Fort McMurray, cidade do noroeste do Canadá, já foram retirados devido ao enorme incêndio que alastrou devido ao tempo invulgarmente quente e seco para a época do ano e aliado a fortes ventos.

As autoridades municipais ordenaram a evacuação obrigatória às 18h20 de terça-feira (1h20 desta quarta-feira em Lisboa) e pediram aos habitantes da cidade que se dirigissem para norte, de modo a evitar as chamas que bloqueiam a única autoestrada que liga Fort McMurray ao sul da província de Alberta. Algumas horas depois surgia a indicação que cerca de 53 mil pessoas já haviam saído da cidade da província de Alberta.

“Quando se sai... é uma sensação avassaladora, pensa-se que nunca se voltará a ver a nossa casa (…) É completamente horrivel quando nós estamos sentados no trânsito, olhamos para cima e vemos as árvores como se fossem velas... pelo cimo da colina onde vivemos e fica-se a pensar, 'Oh meu Deus, nós saímos mesmo a tempo”, relatou Carol Christian.

“Foi como o apocalipse”, disse Russell Thomas, que quando tentava sair da cidade viu uma estação de combustível a explodir.

“Casas estão a arder enquanto estamos a falar. Nós temos o fogo ativo dentro da cidade”, afirmou terça-feira à noite em conferência de imprensa Darby Allen, responsável dos bombeiros regionais.

Imagens transmitidas pelas televisões mostraram gigantescas chamas nos bosques que rodeiam a cidade

Pelo menos um bairro inteiro dos subúrbios, Beacon Hill, já teria por essa altura sido consumido pelas chamas. Apesar do cenário de destruição ainda não há informações sobre a existência de vítimas.

“Eu sei que é um momento muito assustador”, disse a primeira-ministro de Alberta, Rachel Notley, comentando a maior evacuação ocorrida na sua província.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, declarou que o Governo disponibilizaria apoio à cidade, ao mesmo tempo que apelou a todos os seus habitantes para que obedecessem às ordens de evacuação.