Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícias chineses passam a patrulhar ruas de Roma e Milão

  • 333

Etienne Oliveau/GETTY

Experiência de duas semanas poderá ser prolongada e expandida a outras cidades italianas

Numa experiência inédita, polícias chineses estão a patrulhar desde esta terça-feira as ruas de Roma e de Milão. O objetivo é ajudar os turistas chineses a orientarem-se e a sentirem-se seguros nestas duas cidades italianas.

Os polícias poderão também facilitar o contacto por parte dos turistas com as autoridades locais ou a embaixada do país. A patrulha conjunta entre as forças chinesas e italianas é pioneira na Europa.

Segundo a Reuters, quatro oficiais chineses foram treinados pela polícia italiana em Pequim e vestirão a mesma farda que utilizam na China, de forma a serem facilmente reconhecidos pelos seus compatriotas. Serão os locais turísticos, como Coliseu de Roma e a Catedral de Milão, que contarão com a presença de forças chinesas.

A ação experimental que começou esta terça-feira deverá decorrer até ao próximo dia 13. “Esta experiência foi planeada a pensar nos turistas chineses, e se resultar bem, podemos considerar outras formas de colaboração, dada a presença da comunidade chinesa no nosso país”, declarou o ministro italiano do Interior, Angelino Alfano.

“Se a experiência for um sucesso, iremos expandi-la para outras cidades em Itália”, acrescentou.

O diretor do gabinete chinês de cooperação internacional, Liao, disse ao “Guardian” que este acordo é um “momento histórico” na relação diplomática entre os dois países, lembrando a viagem do mercador e explorador italiano Marco Polo à China há 700 anos.

De acordo com os dados oficiais, mais de três milhões de turistas chineses visitam a Itália todos os anos. Roma, Milão, Veneza, Florença e Nápoles são algumas das cidades mais procuradas.