Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Novo mapa de mutação genéticas promete grande avanço no tratamento do cancro da mama

  • 333

António Pedro Ferreira

No total são 93 os genes cuja mutação poderá dar lugar aos tumores. O novo mapeamento das mutações genéticas deverá permitir o desenvolvimento de tratamentos mais direcionados para as especificidades de cada caso

O amplo mapeamento das mutações genéticas ocorridas em 560 pessoas que sofriam de cancro da mama mostrou que os genomas cancerígenos são altamente individualizados e deverá permitir um enorme avanço nos tratamentos, dando lugar a abordagens com mais probabilidades de sucesso para cada caso.

Para compreender o que corre mal com o ADN, levando a que tecidos saudáveis se tornem cancerígenos, os investigadores do Wellcome Trust Sanger Institute analisaram a totalidade dos três mil milhões de letras do código genético de 560 pessoas que sofriam de cancro da mama.

No total, descobriram que há 93 genes cujas mutações podem dar lugar a tumores, cinco dos quais anteriormente desconhecidos, segundo referem os resultados da investigação divulgados nas publicações cientificas “Nature” e “Nature Communications”.

“Nós entregámos a lista às universidades, farmacêuticas e empresas de biotecnologia para que comecem a desenvolver novas drogas”, refere à BBC Mike Stratton, diretor do instituto Sanger, em Cambridge. O investigador prevê, contudo, que o desenvolvimento das novas drogas demore pelo menos uma década a concretizar-se.