Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atleta australiana vítima de um grave incêndio volta a competir

  • 333

Turia Pitt com o marido, Michael Hoskin.

Brendon Thorne/Getty Images

Em 2011, Turia Pitt foi surpreendida pelas chamas de um fogo florestal enquanto participava numa maratona na cidade de Kimberley, na África do Sul. Ficou com queimaduras em 65% do corpo

Em 2011, depois de ter ficado com queimaduras em 65% do corpo durante um incêndio florestal, os médicos disseram-lhe que o mais provável era não poder voltar a competir, mas Turia Pitt, atleta australiana de 28 anos, não desistiu. E não só não desistiu como, no último domingo, aceitou o desafio de participar na etapa australiana do circuito Ironman Triatlo, tendo conseguido, para espantos de muitos, terminar a prova.

“Estava confiante de que iria conseguir chegar ao fim, a menos que tivesse má sorte. Podia, por exemplo, ter caído da bicicleta. Esse é o tipo de coisas que eu não consigo controlar”, disse Turia Pitt à BBC, depois de ter percorrido os 226 quilómetros da prova realizada em Port Macquarie, cerca de 400 quilómetros a norte de Sydney.

Há cinco anos, a atleta foi surpreendida pelas chamas de um grande fogo florestal enquanto participava numa maratona na cidade de Kimberley, na África do Sul. Esteve internada durante mais de um ano, tendo sido submetida a mais de 100 cirurgias. Os seus ferimentos, assim como os de outros quatro atletas, podiam ter sido evitados se a organização do evento não tivesse sido negligente, soube-se depois.

A sua participação na corrida deste domingo serviu não só para mostrar que, apesar do grave incidente de que foi vítima, a sua vida continua, como também para angariar fundos para a agência Interplast, que permite à população de países em desenvolvimento ter acesso gratuito a cirurgias de reconstrução.