Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Grécia: Tusk afasta cimeira e pede um Eurogrupo “nos próximos dias”

  • 333

OLIVIER HOSLET / EPA

O presidente do Conselho Europeu diz que é preciso evitar uma nova situação de incerteza sobre a Grécia e apela à realização de um Eurogrupo “nos próximos dias”. O objetivo é avançar com a conclusão da primeira avaliação do terceiro resgate

O presidente do Conselho Europeu evita para já falar de uma cimeira extraordinária para discutir a conclusão da primeira avaliação do novo programa de assistência financeira à Grécia. Donald Tusk falou esta manhã com Alexis Tsipras, mas não parece estar de acordo com o primeiro-ministro grego quando este defende uma reunião de chefes de Estado e de Governo para desbloquear o impasse nas negociações e evitar uma nova crise.

"Consultei os presidentes do Eurogrupo e da Comissão Europeia, e falei com o primeiro-ministro Tsipras esta manhã. Estou convencido de que ainda há trabalho a fazer ao nível dos ministros das Finanças", disse Tusk, sublinhando que é preciso "evitar uma nova situação de incerteza para a Grécia".

Para o presidente do Conselho Europeu, é necessário avançar-se com uma nova data para uma reunião de ministros das Finanças da zona euro. "E não estou a falar de semanas, mas de dias", concluiu.

Na passada sexta-feira, o presidente do Eurogrupo tinha colocado a possibilidade de se realizar esta quinta-feira uma reunião extraordinária da zona euro, para se avançar com a conclusão da primeira avaliação. Mas para isso a Grécia teria de apresentar um plano B de medidas de austeridade, a somar às condições exigidas no programa de assistência.

Esta exigência recente está a colocar novas dificuldades à conclusão da avaliação, que se arrasta há vários meses. O plano de medidas de contingência vale 2% do PIB grego, cerca de 3600 milhões de euros. Os credores querem que esteja pronto para ser acionado em caso de necessidade, ou seja, para garantir o cumprimento de défice orçamental primário de 2018. Tsipras defende que levar este pacote de medidas ao Parlamento helénico pode abrir nova crise política.

Tal como Tusk, também a Comissão Europeia evita também para já falar de uma cimeira sobre a Grécia. Bruxelas acredita que há condições para que se chegue a um entendimento ao nível dos ministros das Finanças.

“Acreditamos que existem todas as condições para se chegar a uma solução num Eurogrupo, a ter lugar muito em breve”, disse esta quarta-feira a alta representante da União Europeia para a Política Externa. No final da reunião semanal do colégio de comissários, Federica Mogherini adiantou ainda que a “Comissão continua a trabalhar em boa cooperação com as autoridades gregas, e também com as outras instituições, para que seja possível concluir a (primeira) avaliação o mais cedo possível”.

  • Grécia quer cimeira europeia extraordinária

    Depois do anúncio do adiamento da reunião do Eurogrupo prevista para quinta-feira, Alexis Tsipras telefonou esta quarta-feira a Donald Tusk apelando a uma cimeira dos líderes da União Europeia. Impasse nas negociações em Atenas em torno do plano B de medidas contingentes

  • Tsipras recusa mais austeridade e insiste no alívio da dívida

    Depois de a Comissão Europeia ter anunciado esta quinta-feira que a Grécia registou um excedente orçamental primário de 0,7% do PIB em 2015, o primeiro-ministro grego insiste que o país não precisa de medidas adicionais. Impasse entre Bruxelas e o FMI prossegue

  • Juncker sai em defesa de Tsipras. Ressuscitar a Grexit é brincar com o fogo

    O presidente da Comissão Europeia diverge do FMI quanto à estratégia a seguir em relação à conclusão do primeiro exame ao terceiro resgate à Grécia. Em entrevista ao site financeiro grego Euro2day também defendeu que a reestruturação da dívida helénica deve ser discutida e condenou os que regressaram com o aviso de uma saída da Grécia do euro ( Grexit)