Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Brexit seria “um imposto acrescido” para os contribuintes britânicos

  • 333

Ángel Gurría, secretário-geral da OCDE

Adam Berry

Se maioria da população do Reino Unido votar a favor da saída da União Europeia no referendo de 23 de junho, cada contribuinte irá perder o equivalente a um salário mensal até 2020, avisa o secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE)

As famílias britânicas seriam sobrecarregadas com uma espécie de imposto adicional nas suas finanças se uma maioria da população votar pela saída do Reino Unido da União Europeia no referendo de 23 de junho. Foi este o principal aviso deixado esta quarta-feira pelo líder da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Ángel Gurría, numa entrevista à BBC Radio 4, na qual sublinhou que, a confirmar-se o cenário Brexit, cada britânico irá perder o equivalente a um salário mensal até 2020.

"O Brexit é como um imposto, equivalente a perder cerca de um salário mensal no espaço de quatro anos, mas com repercussões até 2023 e 2030", avisou Gurría em entrevista à rádio britânica, apresentando as contas mais recentes da organização sobre o impacto da eventual saída do Reino Unido do bloco europeu. "Existe uma perda consistente [no cenário Brexit para os contribuintes]. E esse imposto vai continuar a ser pago pelos britânicos ao longo do tempo. O que eles teriam tido nos seus bolsos para gastar deixariam de ter, portanto [a saída da UE] é tão real como um imposto."

As contas da OCDE que pintam este cenário negro perante a eventual Brexit têm por base o fraco crescimento económico que se antecipa para um Reino Unido fora da UE. Mais detalhes sobre estas contas serão publicados ao final desta manhã, garantiu Gurría, dizendo ainda que não tem pudor em admitir que apoia a permanência do país no bloco dos 28.

Na mesma entrevista, o secretário-geral da OCDE deixou uma questão no ar: "Porque é que estamos a desperdiçar tanto tempo, tantos esforços e tanto talento, para tentar encontrar formas de compensar uma má decisão quando não temos obrigatoriamente que tomar essa má decisão?"