Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Antigo advogado de Abdeslam diz que cliente tem “a inteligência de um cinzeiro vazio”

  • 333

O francês Salah Abdeslam (à esquerda) era procurado pelas autoridades francesas e belgas desde os atentados de novembro em Paris

KENZO TRIBOUILLARD/GETTY

Sven Mary retratata o terrorista como “um pequeno imbecil de Molenbeek” que “acredita viver num videojogo”. Quando questionou Abdeslam sobre o Corão, a resposta que advogado teve foi que tinha lido “a interpretação do mesmo na Internet”

O antigo advogado de Salah Abdeslam, o belga Sven Mary, elaborou para o jornal francês Liberation um retrato pouco lisonjeador do extremista, esta quarta-feira, extraditado da Bélgica para a França, considerando que tem "a inteligência de um cinzeiro vazio".

"É um pequeno imbecil de Molenbeek que vem da pequena criminalidade, mais seguidor do que líder. Tem a inteligência de um cinzeiro vazio e tem uma abissal vacuidade. É o exemplo perfeito da geração GTA [o jogo de vídeo Grand Theft Auto] que acredita viver num videojogo", disse o advogado belga sobre o seu ex-cliente.

Sven Mary criticou também Abdeslam sobre a sua prática religiosa. "Perguntei-lhe se leu o Corão, que eu li, e ele respondeu-me que leu a interpretação do mesmo na Internet. Para espíritos simples, é perfeita, a net, é o máximo que conseguem entender," declarou Mary.

Na opinião do advogado, Abdeslam e os amigos "conseguiram tornar toda uma religião antipática."

Criticado pelas fortes palavras usadas na entrevista ao Libération, Mary explicou hoje à agência France-Presse ter avisado Abdeslam que concordou em usar "uma fórmula de choque para fazer passar uma mensagem comum".

O advogado belga deixou de ser responsável pela defesa de Salah Abdeslam na sequência da extradição do detido para França.

Embora o advogado admitisse no início do processo ter aceitado defender Abdeslam "sem hesitação", manifestou-se agora aliviado por deixar de o fazer.

"Toda a gente precisa de uma defesa. [...] Mas a dado momento, pensei parar. Se soubesse que ia haver atentados em Bruxelas, não teria começado a tratar este processo," admitiu.

Sven Mary, habituado a defender personalidades polémicas, revelou que ser o advogado do alegado terrorista trouxe-lhe muitas inquietações tanto para ele como para a família.

"Fui agredido várias vezes, ora verbalmente, ora fisicamente. Dois tipos até esperaram por mim à frente do meu gabinete e houve uma troca de golpes mas eu sei defender-me. A polícia teve de escoltar várias vezes as minhas filhas para a escola" revelou.

Salah Abdeslam tem dois novos advogados para o representar a partir desta quarat-feira, Frank Berton e outro francês cujo nome não foi revelado, e deve ser questionado de forma mais extensa no dia 20 de maio.