Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mitsubishi admite utilização de testes inapropriados há mais de 25 anos

  • 333

KIM KYUNG-HOON / Reuters

“Temos utilizado este método para o mercado doméstico desde 1991”, assumiu esta terça-feira um funcionário do grupo durante uma conferência de imprensa

O fabricante japonês Mitsubishi Motors admite ter utilizado métodos de testes inapropriados nos últimos 25 anos, ampliando o escândalo de fraude do desempenho energético de uma parte dos seus veículos revelado na semana passada.

"Temos utilizado este método para o mercado doméstico desde 1991", disse esta terça-feira um funcionário do grupo durante uma conferência de imprensa, afirmando não saber ainda quais os modelos envolvidos.

A 20 de abril, a Mitsubishi Motors admitiu ter manipulado testes de emissões poluentes em, pelo menos, 625.000 veículos, alguns dos quais construídos para a Nissan.

A empresa admitiu que os seus funcionários modificaram a pressão de pneus durante os testes de consumo de combustível de 625 mil unidades vendidas no Japão de quatro dos seus modelos de veículos ligeiros.

Os carros foram ainda testados com um sistema não homologado pelo Japão desde 2002 e assim vendidos com uma garantia de consumo falsa, segundo a qual eram entre 5 e 10% mais eficientes do que na realidade.

O anúncio surgiu numa altura em que a indústria automóvel tem sido sujeita a fiscalizações mais apertadas, depois de a alemã Volkswagen se ver envolvida num escândalo relacionado com fraudes nos testes de emissões.

Também já esta terça-feira, a Mitsubishi Motors admitiu também ter falsificado dados sobre a eficiência de veículos todo o terreno.