Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cabo Verde: Ataque a destacamento militar faz 11 mortos na capital. Há vítimas civis

  • 333

Cidade Velha, primeira capital de Cabo Verde na ilha de Santiago. A Cidade Velha fica nos arredores da atual capital

Ana Baião

Não há portugueses entre as vítimas do ataque ao Destacamento Militar de Monte Tchota, na ilha de Santiago. Até ao momento a embaixada de Portugal não recebeu nenhum pedido de ajuda de cidadãos nacionais. TAP mantêm o vôo que sai de Lisboa às 20h45 para a Cidade da Praia

Até ao momento as autoridades de Cabo Verde não adiantaram pormenores sobre as causas do ataque a um destacamento das Forças Armadas nas imediações da capital do país, que provocou 11 mortos esta madrugada.

Os oficiais de ligação da embaixada de Portugal na Cidade da Praia, “estão em permanente contacto com as autoridades de Cabo Verde”, disse ao Expresso a Encarregada de Negócios da Embaixada de Portugal em Cabo Verde, Conceição Pilar.

Até às 19h35 desta terça-feira “nenhum português contactou a Embaixada” na sequência destes desacatos, adiantou Conceição Pilar.

A representação diplomática de Portugal em Cabo Verde está em fase de rotação de embaixador, aguardando a chegada da nova embaixadora, Helena Paiva, que substituiu Bernardo Lucena, que assumiu funções como assessor diplomático do primeiro-ministro, António Costa.

TAP mantém vôo das 20h45 desta terça-feira

O porta-voz da TAP, António Monteiro, disse ao Expresso que a transportadora aérea mantém o vôo com saída de Lisboa às 20h45 desta terça-feira: “Este vôo tem chegada prevista para a 1h00” de Cabo Verde (duas horas mais cedo do que em Lisboa).

São bastante contraditórias as informações sobre o funcionamento dos aeroportos da Cidade da Praia e do Sal. Segundo a página online da rádio Voz da América, as forças de segurança estão no terreno e os aeroportos da Praia e do Sal estão fechados.

Dois espanhóis entre as vítimas

O ataque ao destacamento Militar de Monte Tchota em Rui Vaz, na ilha de Santiago, provocou a morte de oito militares cabo-verdianos, e três civis: dois espanhóis e um cabo-verdiano.

São contraditórias as informações relativas aos espanhóis; algumas informações dizem que se tratam de turistas, outras de civis que trabalhavam na área da manutenção do aquartelamento militar, onde funciona o principal centro de comunicações do país.

As autoridades do país encontraram um carro abandonado próximo da Cidadela (nas imediações da capital); “circulam informações de que esse carro teria sido alugado pelos dois cidadãos espanhóis”, adiantou ao Expresso uma fonte local: “Dentro do carro foram encontradas oito metralhadores que alegadamente pertencem aos militares mortos”.

Foram ainda apreendidas cerca de 1000 munições dentro de uma outra viatura alugada, na mesma zona.

O jornal “A Semana”, de Cabo Verde acrescenta que outros dois soldados estão dados como desaparecidos, citando fontes não oficiais que associam o caso ao narcotráfico.

Não há, por enquanto, qualquer reação oficial das Forças Armadas ou do Governo, que segundo o jornal “A Nação”, está reunido em Gabinete de Crise. Ausente está o Chefe de Estado Maior, Adalberto Fernandes, atualmente em Moçambique, no âmbito da reunião dos Chefes de Estado – Maior General das Forças Armadas da CPLP.

O Ministro da Administração Interna, Paulo Rocha deverá falar à imprensa às 18 horas locais (20h em Portugal Continental)

(Notícia atualizada às 19h56)