Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Brexit levará à redução da “influência global” do Reino Unido, alerta Obama

  • 333

Christopher Furlong/Getty IMages

Presidente norte-americano adverte que a saída do Reino Unido da UE obrigará ao estabelecimento de um acordo entre o país e os EUA, que poderá demorar uma década

Barack Obama voltou a alertar este domingo para os riscos de uma eventual saída do Reino Unido da União Europeia. Em entrevista à BBC, o Presidente norte-americano defendeu que o Brexit conduzirá inevitavelmente à redução da “influência global” do país, apelando aos cidadãos para votarem 'Não' no referendo marcado para 23 de junho.

“O que nós acreditamos é que o Reino Unido terá menos influência na Europa e, como consequência, menos influência em termos globais”, declarou o líder dos EUA à estação britânica.

Obama salientou ainda que a saída do país da UE obrigará ao estabelecimento de um acordo entre o Reino Unido e os EUA, que poderá demorar uma década. “Pode ser daqui a cinco anos, dez anos a partir de agora, até sermos capazes de conseguir fazer alguma coisa. O Reino Unido não será capaz de negociar algo com os Estados Unidos mais rápido do que a UE”, avisou.

E explicou ainda que os EUA “não iriam abandonar os esforços” para negociar um acordo comercial com o seu maior parceiro comercial, que é o mercado europeu.

“A minha esperança é que este aspeto seja algo que terá alguma influência na forma como os eleitores vão votar”, acrescentou.

Sobre a cooperação entre os serviços de informações de ambos os países, Obama garantiu que a decisão dos britânicos não terá qualquer consequência a esse nível. “Os nossos serviços de informações trabalham de uma forma muito próxima, os nossos militares também trabalham juntos. Essa cooperação não será alterada”, assegurou.

No sábado, durante um encontro com mais de 500 jovens o Presidente norte-americano também fez apelos no mesmo sentindo, “implorando” aos presentes para não permitirem o isolamento do Reino Unido no referendo.“Nós vemos novas chamadas para o isolamento, para a xenofobia. Eu imploro-vos a vocês jovens que recusem esta proposta de afastamento”, afirmou.

Depois da visita oficial a Londres, Obama parte este domingo para a Alemanha, onde será recebido pela chancelar alemã em Hannover para a inauguração do salão automóvel da cidade.