Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA dizem que raparigas sequestradas pelo Boko Haram não estão esquecidas

  • 333

GETTY

O mundo ficou chocado com a história das 276 raparigas raptadas de uma escola nigeriana há dois anos. Os Estados Unidos já as localizaram mas referem não haver ainda condições para as ir buscar

Os Estados Unidos indicam que as forças americanas e africanas, enviadas para os Camarões para combaterem o grupo jiadista Boko Haram já identificaram em diversas ocasiões os locais onde se encontravam as 276 raparigas raptadas há dois anos de uma escola secundária governamental. O resgate das sobreviventes ainda não foi levado a cabo para não colocar as suas vidas em risco ou para não incitar atos de retaliação contra outros reféns dos terroristas.

A informação foi avançada ao “The New York Times” por responsáveis norte-americanos, que frisam que as raparigas sequestradas não estão esquecidas.

“Nós não estamos à procura de 200 raparigas”, afirmou o general Carter F. Ham, que liderou um comando militar norte-americano em África. “Há muitas, muitas outras que foram feitas reféns, e mais uns milhares mortas, e dois milhões e meio de pessoas deslocadas”, acrescenta.

A combinação das informações obtidas pelos serviços secretos a nível local, a interceção de comunicações e de dados obtidos através de drones foram usados para localizar as raparigas raptadas. Algumas encontravam-se na floresta Sambisa, na Nigéria.

Os responsáveis norte-americanos indicaram ainda que as raparigas foram dispersas e que será necessária o envolvimento de forças do Chade, Nigéria e Camarões para que possar ser levada a cabo uma operação simultânea que evite que sejam alvo da retaliação do Boko Haram.