Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama prevê que Estado Islâmico perca Mossul “até ao final do ano”

PROPAGANDA. Um combatente do autoproclamado Estado Islâmico agita uma bandeira em Mossul, em 2014 FOTO REUTERS

reuters

Numa entrevista à CBS a ser transmitida esta terça-feira à noite nos EUA, o Presidente norte-americano volta a sublinhar o compromisso com a luta contra o terrorismo sem colocar tropas de combate no Iraque e noutros países da região

O Presidente dos Estados Unidos sugere que os desenvolvimentos da luta contra o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) podem resultar na queda de Mossul, o principal bastião do grupo no Iraque, “até ao final do ano”.

Numa entrevista concedida ao canal CBS, que será emitida na totalidade esta noite, Barack Obama reafirma ainda a sua estratégia na luta contra o terrorismo, defendendo o contínuo apoio e treino de forças locais em vez de enviar tropas para o terreno naquele e noutros países da região onde o Daesh está instalado.

“A minha previsão é que em finais do ano tenhamos criado condições para que Mossul caia. Vemos os iraquianos com vontade de lutar e ganhar terreno e devemos assegurar-nos de que lhes damos mais apoio”, diz na entrevista gravada na Casa Branca e cujos excertos foram tornados públicos na noite desta segunda-feira (madrugada de terça em Portugal).

Esta segunda-feira, os norte-americanos anunciaram em Bagdade que os EUA vão enviar para o Iraque cerca de 200 tropas adicionais, sobretudo conselheiros militares, para garantir apoio às forças iraquianas nos seus avanços até à segunda maior cidade do país sob controlo do Daesh.