Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Chineses querem comprar 1% da Austrália

  • 333

O acordo foi estabelecido após a visita de dois dias que o primeiro-ministro australiano Malcolm Turnbull efetuou à China na semana passada, onde se encontrou com o Presidente Xi Jinping

KANZABURO FUKUHARA / EPA

Trata-se de uma área próxima do tamanho de Portugal. O negócio já foi bloqueado anteriormente, por as entidades australianas considerarem que era “contrário aos interesses nacionais”. Mas os chineses voltaram à carga, estabelecendo um novo acordo

Um consórcio liderado por chineses chegou a acordo para comprar maior propriedade agrária australiana, cuja área corresponde a 1% do território do país, equivalente a quase o tamanho de Portugal continental.

O consórcio Dakang Australia chegou a acordo para a compra da S. Kidman and Co por 253 milhões de euros, mas o negócio terá de ser aprovado pelo Governo australiano, que só se deverá avaliar o caso após as eleições australianas, que deverão ter lugar a 2 de julho.

Duas empresas chinesas já haviam disputado no ano passado a compra da S. Kidman & Co, cuja área total é de cerca de 11 milhões de hectares, mas o governo australiano bloqueou o negócio, considerando que a aquisição por uma entidade estrangeira era “contrária aos interesses nacionais”.

Parte do problema era a propriedade englobar a herdade Anna Creek, onde são efetuados os testes de alcance de armas militares.

O novo acordo deixa de fora essa herdade, contando com uma proposta superior, agora para a compra de 80% do total da área da S. Kidman and Co.

O Dakang Asutralia pertence à Hunan Dakang, empresa privada chinesa cuja atividade está ligada sobretudo à suinicultura.

O acordo foi estabelecido após a visita de dois dias que o primeiro-ministro australiano Malcolm Turnbull efetuou à China na semana passada, tendo sido acompanhado por cerca de um milhar de empresários australianos, numa iniciativa destina a incrementar as relações comerciais entre os dois países.