Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rebeldes sírios anunciam nova ofensiva

  • 333

ABDALRHMAN ISMAIL/REUTERS

Os principais grupos da oposição acusam o regime de sucessivas violações ao cessar-fogo e dizem que estes ataques vão ter uma resposta. Más notícias para o desenrolar das negociações de paz que decorrem em Genebra

As forças rebeldes sírias anunciaram esta segunda-feira o lançamento de uma ofensiva armada, numa ação que dizem ser a resposta às alegadas “violações” pelas tropas do regime ao acordo de cessar-fogo, tentativa de pôr cobro aos conflitos que se arrastam no país.

“Após o crescente número de violações ao acordo pelas forças do regime, que incluiram ataques dirigidos a pessoas deslocadas e o bombardeamento contínuo a bairros residenciais, nós declaramos o início de uma batalha, em resposta”, pode ler-se no comunicado assinado por dez grupos rebeldes armados.

Entre os movimentos que assinam a declaração estão grupos que lutam sob a bandeira do Exército Sírio Livre e a poderosa fação Jaish al-Islam, que opera no leste de Damasco.

Depois das preocupações com a escalada de violência na cidade de Alepo, este é um anúncio que coloca ainda mais em risco as negociações de paz conduzidas pela ONU, atualmente a decorrer em Genebra e onde participa Mohammed Alloush, figura-chave da Jaish al-Islam.

O próprio Alloush apelou no domingo à realização de novos ataques contra as forças do regime, apesar da frágil trégua em vigor. “Não confiem no regime e não esperem que este tenha piedade”, escreveu no Twitter. “Há que atacá-los pelo pescoço (matá-los). Atacá-los em todos os lugares.”

O acordo de cessar-fogo, intermediado pelos Estados Unidos e a Rússia, entrou em vigor a 27 de fevereiro, com o objetivo de permitir que as negociações de paz cheguem a bom termo. Não inclui, contudo, o autoproclamado Estado islâmico (Daesh) ou a Frente Nusra, ligada à Al-Qaeda.