Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Opositores de Dilma têm mais de metade dos votos

  • 333

UESLEI MARCELINO

A meio da votação, a oposição a Dilma já tem metade dos votos de que necessita para enviar o processo para julgamento no Senado

Quando mais de metade dos 505 deputados presentes já votaram, a oposição a Dilma contava às 00h35 de Lisboa com 214 votos. Para enviar o processo para julgamento no Senado são necessários os votos de uma maioria de dois terços (342 deputados).

A defesa do arquivamento do processo pela Câmara do Deputados, conta com 66 votos e 3 abstenções. Para travar o processo são necessários 171 votos, contando faltas e abstenções.

Se a oposição a Dilma obtiver os 342 votos, o processo será enviado para o Senado. A câmara alta do parlamento parlamento deverá criar até 30 de abril uma comissão com 21 dos 81 senadores para apreciar o processo. Esta, terá 10 dias para elaborar o parecer que deverá ser votado entre o final da segunda e a terceira semana de maio.

Caso seja aprovado, por maioria simples, o Senado inicia o julgamento do processo de destituição. A presidente é suspensa automaticamente por 180 dias e substituída pelo vice-presidente Michel Temer . Durante este período, cabe ao presidente do Supremo Tribunal Federal conduzir os trabalhos e ouvir os argumentos da defesa e da oposição.

Findo o prazo, se uma maior de dois terços dos senadores aprovar a destituição, a presidente é afastada do cargo e fica inelegível por oito anos. O vice-presidente Michel Temer assegura o mandato até ao final em 2018.

  • Brasil à beira de um ataque de nervos

    Com cerca de dez minutos de votação na Câmara dos Deputados, oposição e defensores de Dilma Rousseff gastam os últimos cartuchos. Há manifestações pró e contra Dilma em 25 estados brasileiros. Só em Brasília a polícia espera mais de 300 mil pessoas nas ruas, entre defensores e apoiantes