Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Áustria constrói novo muro para impedir entrada de refugiados

  • 333

EM MOVIMENTO Um jovem refugiado sírio transporta os pertences à cabeça do lado turco da fronteira com a Síria, em Akcakale, província de Sanliurfa

epa

O governo austríaco decidiu construir um muro na fronteira com a Itália para travar o fluxo de refugiados. Primeiro-ministro italiano já contestou a medida. Bruxelas diz que está “preocupada” com a situação

Depois de ter erguido um muro na fronteira com a Eslovénia no ano passado, o governo austríaco vai construir um novo muro, desta vez na região de Brennero, junto à fronteira com a Itália.

A construção – com cerca de 250 metros de comprimento – teve início há dois dias e deverá estar concluída em maio. O objetivo é, mais uma vez, impedir a entrada de refugiados que chegam através de Itália.

“A Áustria arrisca a converter-se numa espécie de sala de espera para os refugiados”, declarou o ministro austríaco da Defesa, Hans Peter Doskozil, citado pelo “El Mundo”.

O executivo italiano já contestou a construção do muro: o primeiro-ministro, Matteo Renzi, enviou uma carta a Bruxelas a manifestar o seu descontentamento com a barreira, defendendo que vai contra o acordo de Schengen.

Bruxelas diz que está “preocupada” com a construção do novo muro e garante que está a acompanhar a situação. “Se estes planos se materializarem, então teremos que olhar para eles de forma muito séria. A zona fronteiriça de Brennero é vital para a liberdade de movimentos na União Europeia”, afirmou Natasha Bertaud, porta-voz da Comissão Europeia

“O que está a acontecer na fronteira entre a Áustria e Itália não é a solução justa. Acredito na construção de pontes e não muros”, afirmou por seu turno, esta terça-feira, o comissário europeu para a Imigração, Dimitris Avramopoulos.

Segundo os dados oficiais, pelo menos 4 mil cidadãos oriundos de países como o Afeganistão ou a Síria chegaram à costa italiana nos últimos dois dias, refere a Reuters.