Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ataque surpresa do Daesh obriga milhares de sírios a fugirem para a fronteira com a Turquia

  • 333

Mais de cinco mil pessoas fugiram para a passagem fronteiriça de Azaz para tentarem entrar na Turquia

Bulent Kilic

Grupo terrorista atacou comunidades que estavam a albergar milhares de deslocados internos, matando pelo menos três pessoas e destruindo acampamentos improvisados. Os que tentaram entrar no país vizinho pela zona fronteiriça mais próxima foram abatidos pelas autoridades turcas. Pelo menos cinco mil pessoas fugiram para a principal passagem fronteiriça em Azaz

Uma nova onda de refugiados fugiu do norte da Síria para a fronteira com a Turquia após militantes do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) terem atacado comunidades que estavam a dar guarida aos deslocados internos, provocando a morte de pelo menos três pessoas e destruindo o acampamento improvisado que albergava milhares.

O ataque aconteceu no âmbito de uma série de batalhas entre o grupo terrorista e forças da oposição síria que estavam já bem próximas de Dabiq, uma aldeia altamente simbólica para os líderes do Daesh — que, aponta o "The Guardian" acreditam que aquele é o epicentro prédefinido da derradeira luta pelo domínino do mundo.

O avanço do Daesh pareceu apanhar a oposição de surpresa após 12 dias de ganhos territoriais naquela área, que os tinha levado à zona mais próxima de Dabiq do que em algum momento nos últimos três anos. Unidades ligadas ao Exército de Libertação da Síria (ELS), que lideraram a ofensiva, dizem que o Daesh nunca pretendeu tomar Dabiq, antes abrir caminho até à cidade de Minbij, mais a norte, que fica a meio caminho entre os dois maiores bastiões do grupo terrorista no norte da Síria, Al-Bab e Raqqa.

"Sabíamos que eles iam lutar por Dabiq como doidos, então nem nos preocupámos em atacá-los lá", disse o líder de uma das unidades. Após terem sido obrigados a retirar pelo Daesh, o mesmo responsável do ELS terá dito, segundo o jornal britânico: "[Dabiq] nunca foi estratégica para nós. O leste do que eles chamam o califado é o alvo que realmente interessa."

Até dez campos improvisados que albergavam milhares de deslocados pela guerra civil de mais de cinco anos ficaram destruídos à passagem do Daesh. Testemunhas no local descreveram ao "The Guardian" que os membros do grupo fizeram uma primeira abordagem com megafones, exigindo às pessoas que se dirigissem para áreas sob o seu controlo.

Muitas tentaram atravessar a fronteira e entrar na Turquia pela zona mais próxima mas foram alvo de tiros pelas tropas turcas. A invasão do Daesh levou a uma fuga em massa, com pelo menos 5 mil pessoas a fugirem para a passagem fronteiriça oficial mais próxima, na cidade de Azaz.