Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Vírus zika “mais assustador do que se julgava”

  • 333

ALVIN BAEZ/REUTERS

Autoridades norte-americanas dizem que impacto do vírus nos EUA, já presente em 30 dos 50 estados do país, deverá ser maior do que o inicialmente previsto

As autoridades de saúde dos Estados Unidos dizem-se preocupadas com as ameaças representadas pelo vírus zika no país, confirmando na segunda-feira à noite (madrugada desta terça em Portugal) que este já está presente em 30 dos 50 estados norte-americanos e que centenas de milhares de infeções poderão surgir no território de Porto Rico.

Numa conferência de imprensa na Casa Branca, responsáveis do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) renovaram pedidos ao Congresso de maioria republicana para que aprove um pacote de emergência que totaliza cerca de 1900 milhões de dólares (1660 milhões de euros) para preparar o país para lidar com o surto, como pedido pela Administração Obama em fevereiro.

“Tudo o que temos visto deste vírus parece mais assustador do que inicialmente julgávamos”, declarou Anne Schuchat, vice-diretora do CDC. “Apesar de esperarmos que não haja uma grande transmissão [do vírus] na zona continental dos EUA, precisamos que os estados estejam preparados para esse cenário.”

Ligado a casos de microcefalia em recém-nascidos inicialmente registados no Brasil, o vírus zika, transmitido por mosquitos, tem estado a alastrar-se rapidamente em toda a América Latina e no Caribe.

Perante a ausência de fundos de emergência para combater o surto nos EUA, a Casa Branca anunciou, na semana passada, que vai redirecionar o fundo de 589 milhões (cerca de 515 milhões de euros) aprovado pelo Congresso para o combate ao Ébola para preparar o país para a chegada em força do zika à medida que as temperaturas sobem.