Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Detido o segundo homem mais procurado da Europa

  • 333

O francês Salah Abdeslam (à esquerda) era procurado pelas autoridades francesas e belgas desde os atentados de novembro em Paris

KENZO TRIBOUILLARD/GETTY

O belga Mohamed Abrini, cúmplice de Salah Abdeslam na preparação dos atentados terroristas de Paris, em novembro, foi detido esta sexta-feira na Bélgica

Chama-se Mohamed Abrini e depois de Salah Abdeslam era o homem mais procurado pelas autoridades belgas e francesas. O terrorista belga de 31 anos foi apanhado esta sexta-feira depois de cinco meses em fuga, no bairro de Anderlecht, em Bruxelas.

Nesta operação terá sido detida ainda uma segunda pessoa. A imprensa belga avança com a hipótese de se tratar de Osama Krayem cúmplice de Khalid El Bakraoui, o kamikaze na estação de metro de Maelbeek, junto das instituições europeias. A procuradoria belga já confirmou as detenções, mas não avançou com nomes.

Segundo os serviços de informações europeus, Abrini, sobre quem recaía um mandado de captura internacional, esteve envolvido na preparação dos atentados terroristas de Paris, que mataram 130 pessoas.

O ADN de Mohamed Abrini foi encontrado no apartamento da rue Max Roos, em Schaerbeek, bairro de Bruxelas, depois das buscas realizadas a 22 de março, poucas horas depois dos ataques no aeroporto de Zaventeem e na estação de metro de Maelbeek. Foi no 5.º andar daquele apartamento que partiram os dois homens que se fizeram explodir na capital belga.

Mohamed Abrini será o homem do chapéu que surgiu na filmagem das câmaras de vigilância ao lado dos dois bombistas suicidas que se explodiram no aeroporto de Bruxelas, no passado dia 22 de março.

Ontem a polícia belga tinha divulgado imagens do “homem do chapéu”, apelando à colaboração dos cidadãos para ajudarem a localizar o suspeito.

As câmaras de vigilância mostraram que o indivíduo prosseguiu o seu percurso a pé rumo à estação central de Bruxelas, tendo deixado pelo caminho o seu casaco branco enquanto falava ao telemóvel. Por volta das 9h50 Mohamed Abrini deixou de aparecer nas imagens.

A detenção de Mohamed Abrini ocorre precisamente três semanas depois da operação policial que levou à prisão de Salah Abdeslam, que estava escondido num apartamento em Molenbeek, no norte de Bruxelas.

Abrini foi filmado dois dias antes dos atentados em Paris na companhia de Salah Abdeslam numa estação de serviço de Ressons (a norte de Paris) ao volante de um Renault Clio, um dos carros utilizados pelos autores dos ataques na capital francesa.