Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Feriado às sextas-feiras? Na Venezuela sim

  • 333

MIRAFLORES PALACE / EPA

Sempre quis eliminar a sexta-feira como dia de trabalho do seu calendário? Na Venezuela, em nome da poupança de energia, a medida é realidade. Decretada por Nicolás Maduro, a proposta surge numa altura em que o país está a braços com uma grave crise energética e à beira do colapso financeiro

O Presidente da Venezuela causou espanto junto até dos mais criativos políticos internacionais, ao decretar que nos próximos dois meses todas as sextas-feiras serão feriado nacional. A medida, anunciada esta quarta-feira por Nicolás Maduro, é justificada por uma tentativa de poupar energia, num país fortemente atingido por uma crise energética.

Como parte de um plano de 60 dias para combater a crise de energia, Maduro também havia decretado uma pausa de uma semana durante a Páscoa e uma redução nas horas de trabalho diárias. Pediu até que alguns dos maiores centros comerciais gerassem a sua própria energia. Agora, as semanas de trabalho terão apenas quatro dias. “Teremos fins de semana prolongados”, disse Maduro esta quarta-feira, numa comunicação na televisão estatal venezuelana.

A Venezuela é hoje um país onde a instabilidade económica e social é grave e cada vez mais normal. O país enfrenta uma atroz recessão, onde tudo falta: comida, água, medicamentos.

Na economia, a inflação já atingiu os três dígitos e, em fevereiro, uma crise mundial nos combustíveis fósseis fez disparar o preço da gasolina em 6000%. Mesmo assim, o combustível continua mais barato do que a água potável. À beira do colapso, o Supremo Tribunal do país resolveu investir todos os poderes sobre a economia em Nicolás Maduro.

Uma situação de seca extrema tem atingido Caracas, num país onde 60% da população depende de energia hidroelétrica

Uma situação de seca extrema tem atingido Caracas, num país onde 60% da população depende de energia hidroelétrica

Kimberly White / GETTY IMAGES

Só que todas as medidas apresentadas por Maduro afetam a produtividade de um país já de si em colapso financeiro, argumento usado pela oposição para criticar uma proposta que dizem ser “irresponsável”. “Para Maduro, a melhor forma de resolver esta crise é resolver a produtividade do país”, disse um vereador de Caracas, segundo a Reuters. “As sextas-feiras são agora pão e circo”.

O plano será apresentado em detalhe esta quinta-feira. Maduro não especificou ainda como as medidas afetarão os setores público e privado mas assegura que este é um bom plano. “Penso que conseguimos ultrapassar esta situação sem aumentar as tarifas ou entrar em austeridade”.