Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ativista critico do Islão assassinado no Bangladesh

  • 333

Jovem ativista foi morto por quatro atacantes em Daca, após ter publicado mensagens anti-islâmicas no Facebook

Nazimuddin Samad era um conhecido blogger e ativista ateu no Bangladesh. Aos 28 anos, o estudante de Direito desafiava o pensamento religioso do país, sendo um acérrico crítico das injustiças sociais em textos publicados em sites e nas redes sociais.

Odiado por grupos islâmicos, Nazimuddin Samad foi assassinado esta quarta-feira à noite em Daca, capital do Bangladesh. Nenhum grupo reivindicou ainda a autoria do ataque, mas tudo leva a crer que tenha sido um desses grupos. O crime ocorreu pouco depois de o ativista ter escrito um post no Facebook, onde criticava o Islão.

“Pelo menos quatro atacantes agrediram Nazimuddin Samad com uma machete. Quando ele caiu, um deles disparou uma pistola quase à queima-roupa. Morreu no local”, disse o vice-comissário da polícia metropolitana de Daca, Syed Nurul Islam, à AFP.

As autoridades não têm dúvidas de que se tratou de um crime premeditado, estando já a investigar o caso. De acordo com o jornal “Dhaka Tribune”, os atacantes gritaram “Allahu Akbar” (“Deus é grande”) antes de o agredirem numa rua movimentada, próximo da universidade onde o jovem estudava na capital.

O ativista vivia em Sylhet, mas estava há dois meses em Daca. A maioria da sua família vive em Londres e há muito que o alertava para os riscos que corria face às suas declarações contra o Islão.

“A evolução é uma verdade científica. A religião e a raça são uma invenção da selvajaria e de um povo não civilizado”, escreveu Nazimuddin Samad num dos seus posts transcritos pelo “The Guardian”.

Os casos de ativistas assassinados são frequentes no Bangladesh. Só no ano passado, pelo menos quatro bloggers ateus foram mortos por membros de grupos islâmicos do país.