Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bélgica. Operação antiterrorismo em Courtrai ligada ao atentado evitado em França

  • 333

As forças policiais belgas em frente ao tribunal de Bruxelas, onde foi hoje decidida a deportação de Salah Abdeslam para França

LAURENT DUBRULE / EPA

Na cidade belga de Courtrai, perto da fronteira com a França, decorre esta quinta-feira uma operação policial antiterrorismo. A operação estará relacionada com a detenção de Reda Kriket, alegado membro do Daesh que preparava um atentado em solo francês, evitado pelas autoridades

Uma nova operação antiterrorista está em curso na cidade de Courtrai, na Bélgica, no quadro da investigação relacionada com Reda Kriket, principal suspeito de um projeto de atentado intercetado pelas autoridades em França.

O anúncio foi feito pela procuradoria federal belga e, de acordo com vários órgãos de comunicação social belgas, polícias e militares estão envolvidos na operação que decorre na região da Flandres, muito perto da fronteira com a França. O jornal francês "Le Figaro" adianta que ainda não foram feitas quaisquer detenções nesta fase.

A operação surge na sequência da detenção na passada quinta-feira de Reda Kriket, principal suspeito na investigação de um plano de atentado frustrado em solo francês. Segundo as autoridades francesas, o suspeito estaria a preparar um ataque de “extrema violência”.

Num apartamento ocupado por Kriket em Argenteuil, na periferia parisiense, a polícia encontrou espingardas de assalto, pistolas e explosivos, incluindo TATP, o explosivo artesanal de eleição dos 'jihadistas' do Daesh. É também suspeito de ter pertencido às fileiras do grupo jiadista na Síria.

Este caso é distinto da investigação sobre os atentados de Paris e Bruxelas, embora tenham sido estabelecidas algumas ligações entre os protagonistas. Um outro suspeito, Anis B., que se crê ter sido mandatado pelo Daesh para cometer um atentado em França com Reda Kriket, foi detido no domingo em Roterdão, na Holanda, e é alvo de um mandado de prisão europeu emitido por juízes franceses.