Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Fukushima vai ter “muro de gelo” inédito para limitar contaminação

  • 333

TORU HANAI

Regulador nuclear nipónico aprovou esta quarta-feira o plano apresentado pela Tokyo Electric Power (Tepco) para congelar o subsolo em torno dos quatro reatores da central mais afetados pelo sismo e tsunami de há cinco anos

A Autoridade de Regulação Nuclear do Japão (NRA) aprovou esta quarta-feira a criação de um “muro de gelo” no subsolo da central nuclear de Fukushima para tentar limitar a contaminação do subsolo e ajudar a conter o derrame de água contaminada para o oceano Pacífico.

De elevado custo e sem precedentes na história da energia nuclear, o plano passa por congelar o subsolo em torno dos quatro reatores mais afetados pelo sismo e consequente tsunami que devastaram parte do Japão a 11 de março de 2011. A Tokyo Electric Power (Tepco), que opera a central de Fukushima, estava há mais de um ano a tentar implementar o projeto, para o qual precisava do aval e financiamento do Estado nipónico.

“Esta operação pressupõe um desafio e é preciso levá-la a cabo com extremo cuidado e dispondo de todos os dados necessários”, declarou o presidente da NRA, Shunichi Tanaka, no final da reunião realizada esta quarta-feira, em declarações reproduzidas pela NHK.

Com o OK da NRA, a operadora poderá dar início ao processo já amanhã. Este passa por congelar o solo e subsolo ao redor dos edifícios dos reatores nucleares atingidos, criando uma parede de gelo de 30 metros de profundidade e 1500 metros de comprimento, com uma temperatura a rondar os 30º celsius negativos, segundo explicou a Bloomberg em outubro. Com isto, os especialistas esperam conseguir evitar que a água do subsolo continue a ficar contaminada.