Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Procuradoria belga liberta suspeito de terrorismo

  • 333

JOHN THYS/GETTY IMAGES

Procuradoria justifica decisão com insuficiência de provas. Media belgas têm identificado Fayçal Cheffou como o "homem do chapéu" nas imagens divulgadas pela polícia, mas as autoridades não confirmam

Fayçal Cheffou, um dos suspeitos dos atentados de Bruxelas que ficaram em prisão preventiva no final da semana passada, acaba de ser libertado pelas autoridades belgas. A decisão deve-se a insuficiência de provas, conforme se pode ler num comunicado da procuradoria federal.

O suspeito de terrorismo foi um dos seis homens detidos pelas forças especiais belgas na última quinta-feira em Bruxelas, tendo acabado por ficar, com outros três, em prisão preventiva.

Na sua casa, onde a polícia efetuou buscas, não foram encontradas quaisquer armas ou materiais explosivos. Este sábado, Cheffou acabou por ser formalmente acusado pelas autoridades belgas por participação em atividades de um grupo terrorista, tentativa e assassinatos terroristas.

"Os indícios que levaram à prisão de Fayçal C. não foram reforçados pela evolução da investigação em curso", explica a procuradoria federal em comunicado. "Consequentemente, o suspeito foi posto em liberdade".

A imprensa tem associado o nome de Cheffou ao homem que surge nas imagens das câmaras de vigilância do aeroporto de Zaventem, junto aos dois bombistas suicidas que se fizeram explodir, Ibrahim El Bakraoui e Najim Laachraoui. No entanto, não há qualquer confirmação das autoridades de que Cheffou seja de facto o terceiro suspeito do aeroporto, que alegadamente transportaria uma bomba que não chegou a explodir.

Durante os dias em que esteve preso, Fayçal Cheffou recusou-se a colaborar com a Justiça belga.