Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Fayçal Cheffou, o novo nome na investigação em Bruxelas

  • 333

JULIEN WARNAND/EPA

Três dos seis suspeitos apanhados nas rusgas desta quinta-feira à noite na capital belga ficaram detidos

Hugo Franco

Hugo Franco

Enviado a Bruxelas

Jornalista

João Santos Duarte

João Santos Duarte

Enviado a Bruxelas

Jornalista

O seu nome é Fayçal Cheffou, um dos seis suspeitos detidos pelas forças especiais belgas na última noite de quinta-feira, em vários bairros de Bruxelas. E um dos três que ficou em prisão preventiva, por ligações ao terrorismo.

Ainda pouco se sabe sobre ele mas é até ao momento a única identidade conhecida pela imprensa belga depois de várias operações policiais nos últimos dois dias para apanhar os três cúmplices dos autores dos atentados no aeroporto e no metro de Bruxelas na última terça-feira.

Chegou a ser avançado que Fayçal Cheffou fosse o homem misterioso que surge nas imagens de CCTV do aeroporto de casaco creme e chapéu ao lado dos dois bombistas-suicidas mas , citando fontes oficiais, a cadeia de televisão RTBF já noticiar que nada indica que ele seja o terceiro suspeito dos ataques em Zaventem. Ou o cúmplice de Ibrahim el-Backraoui no atentado na estação de Maelbeek.

Os interrogatórios ao suspeito não parecem estar a ter resultados já que Fayçal se recusa a colaborar com a Justiça.

Durante esta sexta-feira mais três homens foram detidos, um deles na Place Meiser, no bairro de Schaerbeek, depois de não ter obedecido às ordem da polícia. Nesta operação, acompanhada pelo Expresso desde o início da tarde, as autoridades terão feito detonar a sua mochila, por suspeitar que transportava material explosivo. O homem foi ferido na perna.

As operações vão continuar até serem encontrados os homens que ajudaram a cometer o atentado que matou 31 pessoas e feriu 300 de 40 nacionalidades.