Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Há 24 horas que não entram migrantes na Grécia

  • 333

OZAN KOSE/ Getty Images

O acordo entre a União Europeia e a Turquia, que entrou em vigor no passado domingo, prevê que os refugiados e migrantes irregulares que cheguem à Grécia sejam devolvidos a território turco

O cenário é muito diferente daquele que pintou as ilhas gregas nos últimos dias, semanas e meses. Nas últimas 24 horas, nem um migrante entrou na Grécia. Esta quinta-feira, pela primeira vez, desde o acordo entre União Europeia e Turquia, não se registou qualquer chegada.

O acordo ficou acertado na última sexta-feira, entrou em vigor no domingo e no começo desta semana já se fazia notar. Segundo dados da AFP, na segunda-feira chegaram à Grécia 1662 pessoas, 600 na terça-feira e na quarta-feira 260. Agora, nenhuma.

O documento assinado prevê que os refugiados e migrantes ilegais que cheguem à Grécia sejam devolvidos a território turco. O principal objetivo é desincentivar as pessoas a aceitarem negócios com traficantes que prometem proporcionar o caminho seguro até à Europa. Por outro lado, incentivá-los a ficar nos campos de refugiados na Turquia, com a oportunidade de, posteriormente, serem recolocados num país da União.

A AFP acrescenta ainda que este abrandamento nas entradas têm sido aproveitado pelas autoridades gregas para tratar das questões logísticas do reenvio de migrantes ilegais para a Turquia.

Se os números na Grécia parecem demostrar que o acordo está a dar frutos, na Líbia a história é outra. Esta quinta-feira, o ministro francês da Defesa, Jean-Yves Le Drian, em entrevista à radio 1 Europe, denunciou que “centenas de milhares” de pessoas estão naquele país à espera de atravessar o Mediterrâneo. Considerou que o balanço de 800 mil é um valor “razoavelmente certo”.

Só em 2015, mais de um milhão de migrantes entraram na Europa, metade deles de origem Síria, que procuravam no velho continente o refúgio seguro para fugir à guerra. A rota entre a Turquia e a Grécia é um dos caminhos de eleição. Estima-se, segundo dados da AFP, que deste milhão, 850 mil tenham atravessado o Mar Egeu.