Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Destroços encontrados em Moçambique "pertencem quase de certeza" ao MH370

  • 333

MOHD RASFAN/Getty images

Dois anos depois, autoridades da Malásia e da Austrália estão mais perto do que nunca de apurarem o que aconteceu ao voo da Malaysia Airlines que desapareceu a 8 de março de 2014 com 239 pessoas a bordo

Os dois fragmentos de avião encontrados em Moçambique são "altamente semelhantes" aos do voo MH370, da companhia aérea Malaysia Airlines, que desapareceu a 8 de março de 2014 com 227 passageiros e 12 tripulantes a bordo, anunciou esta quinta-feira o ministro australiano dos Transportes, Darren Chester, com base na análise dos destroços por especialistas do país.

"A análise concluiu que os destroços são quase certamente do MH370", disse Chester em comunicado, acrescentando que os elementos encontrados correspondem aos que "se encontram a bordo de um Boeing 777", o modelo de avião daquele voo da Malaysia Airlines.

Os fragmentos, encontrados em locais diferentes da costa de Moçambique por civis, chegaram na segunda-feira à Austrália, o país que está a liderar as investigações ao desaparecimento do voo MH370, em parceria com autoridades da Malásia e da China.

Equipas dos três países estão a conduzir buscas há vários meses numa área remota de 120 mil quilómetros quadrados no Oceano Índico, dos quais faltam ainda rastrear 25 mil quilómetros. As duas peças encontradas em Moçambique a 11 de março são um fragmento com a inscrição "No Step" e uma placa de metal com um metro de comprimento.

Reagindo ao anúncio australiano, a Malásia anunciou esta manhã que vai alargar as buscas por mais destroços nas costas de Moçambique e da África do Sul. "Há a necessidade de procurar mais destroços na costa sul da África. A Malásia vai enviar uma equipa e já estamos a aguardar autorização da África do Sul"', disse o ministro dos Transportes da Malásia, Liow Tiong Lai.