Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Reação da Rússia: atentado em Bruxelas é culpa da política errada do combate ao terrorismo

  • 333

A porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, reagiu em declarações prestadas à televisão Russia 24

GETTY

Ao mesmo tempo que o presidente Putin expressou as suas condolências ao rei da Bélgica pelas explosões desta terça-feira, a porta-voz do Ministério do Negócios Estrangeiros disse que o sucedido é o resultado de uma política errada no combate ao terrorismo

“Lamentavelmente, nós estamos a testemunhar os tristíssimos resultados de uma política de padrão duplo nesta matéria (…). É errado classificar os terroristas como os bons e os maus”, afirmou Maria Zakharova, porta-voz, do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, numa reação às explosões desta terça-feira em Bruxelas prestada à televisão Russia 24.

“É muito importante tomar medidas concretas em termos globais, num trabalho incondicional e objetivo para repudiar o terrorismo internacional”, acrescentou.

Alinhando pelo mesmo diapasão, o chefe do comité dos Negócios Estrangeiros aproveitou o sucedido para criticar a atuação da NATO. “Enquanto Stoltenberg (secretário-geral da NATO) anda a combater a ‘ameaça russa’ imaginária e a colocar tropas na Letónia, pessoas fazem-se explodir em Bruxelas mesmo debaixo do seu nariz”, escreveu Alexey Pushkov, na rede social Twitter.

Reações que surgem ao mesmo tempo que Putin expressou as suas condolências pelo sucedido. “O presidente Vladimir Putin já apresentou as suas condolências ao Rei Filipe da Bélgica por causa da morte de civis na série de explosões em Bruxelas. O presidente condena fortemente os crimes bárbaros que foram cometidos”, disse um porta-voz do Kremlin.

Putin oferece a “total solidariedade para com os belgas nestas horas difíceis. Este crime bárbaro não pode ser justificado, confirmando que o terrorismo não conhece fronteiras e representa uma ameaça para as pessoas em qualquer ponto do globo”, acrescentou o porta-voz.